Portal do Aluno Portal do Aluno

O farmacêutico bem-sucedido

Farmacêutico bem sucedido

Para uns, ter sucesso é conquistar dinheiro, casa, carro, viagens, conforto. Para outros, sucesso representa prestígio e reconhecimento no meio em que atua. Há aqueles que dizem que sucesso é ter uma família, filhos, casa, cachorro... Os mais objetivos atribuem a ele o simples fato de fazer o que gostam e, com isso, serem felizes. De fato, nenhum deles detém a verdade absoluta e, ao mesmo tempo, todos estão convictos de suas crenças. Parece que o fio condutor que permeia todos os anseios das pessoas bem-sucedidas é a felicidade.

Ser feliz com o que faz, independentemente da área em que atua, é o melhor termômetro dos afortunados, prósperos e vitoriosos... Neste contexto, a busca pela felicidade, muito além da definição subjetiva e filosófica, é o que impulsiona e que movimenta os seres no sentido de perseguir seus sonhos e, portanto, conquistar seus objetivos com sucesso e perseverança. 

O sucesso é uma busca real compartilhada por todos em qualquer profissão! Muitos farmacêuticos têm trilhado um caminho de busca pelo sucesso e têm se destacado na grande maioria dos segmentos em que atuam e nas diferentes funções exercidas. Esses exemplos bem-sucedidos são encontrados no varejo, na indústria, na distribuição, nas salas de aula, nos hospitais, na política e em tantas outras áreas em que sua atuação é fundamental para garantir, de uma forma ou outra, a saúde e o bem-estar da população.

São vários os exemplos a serem citados. A riqueza das histórias de farmacêuticos contadas a seguir certamente servirá de inspiração para aqueles que desejam progredir, empreender, crescer e alcançar o sucesso. No entanto, para seguir esses modelos é preciso muito mais que inspiração, é necessário ter ação, persistência, perseverança, empenho e, acima de tudo, disposição para se qualificar de forma contínua. Este é o poder transformador dos bem-sucedidos.

Baseado nesta premissa, o ICTQ convida os ávidos por sucesso e crescimento, a conhecer os dez passos para uma carreira bem-sucedida e a se inspirar nas personalidades que são as referências de sucesso do farmacêutico brasileiro.

1º Passo: Sonhe e aja no presente sem perder de vista o futuro desejado

Sonhar é planejar o futuro. Aqueles que sonham com o sucesso, acabam caminhando em sua direção.

A farmacêutica Luisa Saldanha, aos 21 anos, sonhava em abrir sua própria farmácia de manipulação. Recém-formada no curso Farmácia, começou a traçar seu plano de vida. No Rio de Janeiro (RJ), logo inaugurou a sua primeira unidade. Mudou-se para Recife e montou a primeira farmácia de manipulação dentro de um shopping center. Um feito inédito, que atraiu a atenção de outros shoppings e convites para instalação de novas lojas.

Por meio de um trabalho com seriedade, paixão e entusiasmo, sua aspiração inicial se transformou em dez lojas próprias e mais de 50 franqueados pelo Brasil. Assim se formou sua rede, a Phamapele.

“O sonho pela profissão surgiu ainda na infância, quase numa brincadeira. O meu pai é médico. Por isso, eu gostava de ajudá-lo a organizar todas as amostras de remédios que chegavam para ele, colocando etiquetas com os nomes dos medicamentos e até mesmo do paciente”, relembra Luisa. Além disso, aos 18 anos, teve um problema de acne, o que a fez ir várias vezes à farmácia de manipulação encomendar o remédio. “Eu gostava de observar os manipuladores trabalhando através da parede de vidro, o que me fez gostar mais ainda dessa profissão e torná-la meu objetivo de vida”, relata.

Já Janaina Gonçalves Gomes, antes mesmo de entrar para o curso de Farmácia Industrial, na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), seus pais, Vera e Lindouro, já haviam iniciado a fabricação de cosméticos de forma artesanal. Ela sonhava em ampliar o negócio da família, e acreditou que o curso de farmácia seria o melhor caminho para dar continuidade ao trabalho que os pais haviam começado.

“Muitas vezes as pessoas têm dificuldade em assumir as rédeas do próprio destino na conquista de seus sonhos, e acham mais fácil transferir a responsabilidade aos outros. Acredito que o fator sorte existe, mas nunca vai acontecer para quem não está preparado. É impossível ganhar a guerra se você não se prepara para a batalha”, defende Janaina. Ela diz que para ser feliz é fundamental sonhar e aprender a equilibrar a expectativas: “elas não devem ser modestas a ponto de te deixarem acomodado, mas também não podem ser tão altas que te deixem frustrado”, preconiza.

Atualmente, Janaina é diretora técnica na empresa fundada por seus pais, a Bio Extratus, que tem uma fabricação mensal de mais de dois milhões de unidades, quase 250 toneladas. O portfólio é formado por quase 250 itens diferentes, sendo que a maioria deles é destinada ao tratamento capilar. A empresa atua em todo o território nacional e exporta para Portugal, Espanha e Estados Unidos. A unidade fabril tem 30 mil metros quadrados de área construída e já está sendo construída uma nova unidade fabril de 11 mil metros quadrados, que será inaugurada neste ano. A empresa possui mais de 500 funcionários e está situada em Alvinópolis, uma cidade do interior de Minas Gerais, que tem aproximadamente 15 mil habitantes.

Outra história de sonhos bem-sucedidos é a do farmacêutico, também empresário, professor do ICTQ e consultor, Leonardo Doro Pires. Ele conta que a possibilidade de se tornar um pesquisador na área de medicamentos fascinava seu imaginário de sonhos desde a adolescência. Em fevereiro de 1997, aos 17 anos, ele deu o primeiro passo e ingressou no curso de Farmácia e Bioquímica da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), em Minas Gerais. Desde o início do curso pode perceber que a profissão farmacêutica era muito mais ampla do que a pesquisa de novos medicamentos. Atualmente ele é um dos farmacêuticos do País com remuneração que soma dezenas de pisos salariais da categoria. Resultado de uma carreira projetada e trabalhada a partir de sonhos planejados e executados desde sua adolescência.

2º Passo: Estude, aprenda e aplique seus conhecimentos

A qualificação é o caminho mais seguro para a conquista dos objetivos, independentemente do tamanho deles.

Um dos exemplos que podem ser citados neste contexto é o do industrial Luiz Donaduzzi. Ele fez a faculdade de Farmácia e Bioquímica em Maringá (PR). Juntamente com sua esposa, Carmem Donaduzzi, e logo no início de sua carreira, montou uma farmácia em Querência do Norte (PR).

Ele acreditou, na época, que a principal escada para o sucesso era mesmo a capacitação. Por conta disso, após três anos de funcionamento, ele vendeu sua farmácia e partiu para um mestrado e doutorado em Biotecnologia pelo Instituto Politécnico de Lorraine de Nancy, na França. Quando voltou ao Brasil, se tornou diretor técnico em uma instituição do governo. “Sempre digo que ganhar dinheiro é fácil, desde que você se prepare para isto e tenha vontade, sobretudo estudando. Não consigo ver outra forma de crescimento”.

Ao longo dos anos, os conhecimentos que Donaduzzi buscou no início de sua carreira por meio de especializações fizeram dele um dos poucos profissionais farmacêuticos milionários no Brasil, empresário reconhecido e respeitado no mercado.

Já um dos empresários mais bem-sucedidos na área magistral do Brasil, Evandro Tokarski, defende: “Como farmacêutico, sempre digo que a faculdade não basta, são necessárias, no mínimo, duas ou três pós-graduações pra começar a se diferenciar no mercado”. Tokarski recentemente movimentou o mercado com a fusão de seu laboratório farmacêutico com uma multinacional indiana e, atualmente, ampliou seu modelo de negócios na área magistral para se tornar também um franqueador. O conhecimento, como sempre, foi sua principal ferramenta nos negócios bem-sucedidos.

Vale ressaltar que o sucesso por meio do conhecimento também está ao alcance de jovens profissionais. Vitor Brandão, apesar da pouca idade, nunca parou de se qualificar e especializar desde que finalizou a faculdade de farmácia. Antes mesmo de alcançar os seus 30 anos já ocupava importantes cargos de liderança na área de Assuntos Regulatórios em indústrias farmacêuticas respeitadas no Brasil. Ele perseguia o sucesso, mas não esperava que acontecesse tão rápido, mas certamente tudo foi fruto de muito esforço, dedicação e perseverança nos estudos. “Muito mais do que ser um profissional bem-sucedido, meu objetivo sempre foi agregar mais conhecimento e me utilizar dele para o benefício das pessoas. O desenvolvimento profissional e pessoal deve ser contínuo, portanto é preciso sempre manter o foco na evolução e nos benefícios que isso pode proporcionar à sociedade”, ressalta ele.

3º Passo: Determine um foco e persista

Muitos obstáculos surgirão no caminho de quem busca o sucesso na carreira profissional ou nos negócios. Manter um objetivo em mente e não se dispersar encurta o trajeto e leva à vitória.

O farmacêutico Donaduzzi, citado no passo anterior, é um exemplo de persistência e foco nos objetivos. Na década de 1990, iniciou a produção de medicamentos dentro de uma cozinha, com apenas US$ 100. Esta seria uma empresa precursora do que atualmente é a Prati-Donaduzzi. Atualmente sua indústria é especializada no desenvolvimento e produção de medicamentos genéricos e similares e é a primeira no País a comercializar os medicamentos fracionáveis.

Com sede em Toledo, oeste do Paraná, tem mais de quatro mil colaboradores. A Prati-Donaduzzi possui um dos maiores portfólios de medicamentos genéricos do Brasil. “O empreendedorismo começa com uma ideia. Mas há momentos em que existem gargalos e, se você não persistir com preparo e qualificação, estes gargalos vão limitar o seu crescimento”, pondera o empresário farmacêutico.

Outro exemplo de foco e persistência é o da farmacêutica Vanessa Vilela. O desejo de atuar na profissão nasceu com ela. Na verdade, ela se diz uma apaixonada por cosméticos e, por conta disso, ingressou na faculdade com o objetivo único de atuar na área de cosmetologia e desenvolvimento de formulações. “O mundo é extremamente competitivo, em qualquer área, mas eu acredito no ditado inglês que diz: onde há vontade, há um caminho. Os obstáculos estão aí para serem vencidos... E que bom que existem! Sempre há uma forma de transpô-los”, dispara a farmacêutica, que nunca teve dúvidas sobre quais caminhos trilhar dentro desta profissão.

Por conta dessa força de vontade e determinação, Vanessa fundou a Kapeh, empresa de cosméticos feitos à base de café certificado. Após desenvolver um estudo pioneiro que constatou as ricas propriedades antioxidantes do café para a pele, ela inaugurou a empresa em 2007. Desde então, a Kapeh vem se destacando por sua força criativa. Em 2011 venceu o Prêmio Nacional de Inovação, realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e pelo Movimento Brasil Competitivo (MBC), em parceria com o Ministério da Ciência e Tecnologia e FINEP.

Vanessa ficou entre as dez melhores empreendedoras do mundo no prêmio Empretec Women in Business Award 2010, promovido pela ONU, e foi destaque na capa da Revista Veja. Em 2011 foi eleita pela revista Época como um dos 40 jovens que representam o futuro do País, e em 2012 foi nomeada Young Global Leader (YGL), pelo Word Economic Forum, que reconheceu os mais distintos jovens líderes globais.

A farmacêutica ainda não atingiu todas as suas metas. “Posso dizer que já dei um grande passo neste sentido, mas ainda tenho muito a fazer pela frente. E que bom que é assim! Ficaria frustrada em falar que atingi todas as minhas metas”, brinca. Em seus planos está tornar a kapeh uma referência em inovação no meio cosmético e com presença em todo o Brasil e no mundo. É para isso que trabalha.

Atualmente os produtos Kapeh estão presentes em mais de 200 pontos de venda multimarcas em 18 Estados brasileiros, em lojas exclusivas (franquias e própria) em Minas Gerais, além de exportar para países como Portugal e Holanda.

4º Passo: Abra a sua mente para as mudanças de cenário

As mudanças estão acontecendo a todo o momento. Por isso, aqueles que almejam o sucesso devem lançar mão de flexibilidade e capacidade de adaptação.

Neste contexto, o farmacêutico bem-sucedido, citado no passo 2, Evandro Tokarski, diz que não há lugar para amadores. É preciso estar atento ao mercado e às possibilidades de mudanças. “Temos o mundo na palma na mão e temos de nos apoiar no conhecimento”, defende.

Para mostrar sua capacidade adaptativa e sua abrangência com relação às mudanças de cenário, vale citar que Tokarski fundou a TKS Farmacêutica em 1998, que fabricava 36 apresentações comercializadas em todo o País. Para ampliar o negócio dentro de um mercado cada vez mais globalizado, ele se associou ao grupo indiano Sun Pharma, uma companhia multinacional, com sede na Índia e 30 fábricas em outros 19 países, entre eles Estados Unidos, Rússia, China, México e Hungria.

A capacidade de adaptação de Tokarski às novas realidades do mercado farmacêutico, cada vez mais globalizado, fez com que a parceria entre a TKS e a Sun Pharma produzissem em Goiânia – GO, produtos inovadores e com menor custo, fortalecendo a indústria farmacêutica brasileira. Houve a transferência de tecnologia para a produção de medicamentos, sobretudo os sólidos (comprimidos) usados nos tratamentos cardiológicos, neurológicos, psiquiátricos e oncológicos.

Outro exemplo de que uma mente aberta para mudanças pode trazer o sucesso, é o do farmacêutico bilionário listado pela Forbes, Miguel Krigsner, que se formou pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). No início de sua carreira ele se negou a viver em uma zona de conforto, trabalhando numa indústria farmacêutica, como era costume e padrão profissional na década de 1970. Com a mente aberta para uma mudança radical em sua carreira, em 1977, abriu uma pequena farmácia de manipulação no centro de Curitiba (PR), que se chamou O Boticário, com um investimento de cerca de US$ 3 mil.

Aos poucos, seu objetivo inicial foi se alterando e a empresa passou a dedicar-se à fabricação de cosméticos. O direcionamento deu certo: dois anos depois, Krigsner abria uma segunda loja. Atualmente com 3.690 unidades espalhadas por mais de 1.700 municípios brasileiros e presença em outros 8 países, O Boticário é considerada a maior rede de franquias do Brasil e a maior do mundo do setor de perfumaria e cosméticos. Fatura R$ 8 bilhões anualmente e conta com 7 mil funcionários, além de outros 22 mil entre os franqueados.

Outra história que se destaca por conta de sua capacidade de adaptação e superação fica por conta da farmacêutica Luciana Scotti. No início da profissão só pensava em se sobressair na indústria farmacêutica e vinha se esforçando pra isso. Trabalhava numa grande multinacional americana, era recém-formada em Farmácia pela Universidade de São Paulo (USP) e fazia pós-graduação em Administração Industrial. Aos 22 anos sofreu, repentinamente, uma Trombose Cerebral (Acidente Vascular Cerebral-AVC). Depois disso ficou tetraplégica e muda, e viveu três anos sobre uma cama hospitalar.

“Enquanto chorava e relembrava o passado, fui escrevendo meus pensamentos, com o movimento de apenas um dedo - que até hoje me permite escrever! Dessa experiência resultou meu primeiro livro: Sem Asas ao Amanhecer, que atualmente está na décima primeira edição. Depois escrevi outro chamado A Doce Sinfonia de seu Silêncio”, lembra Luciana.

Ignorando absolutamente suas limitações, ela voltou a estudar. Assim fez mestrado na USP, publicou um livro científico sobre cosméticos e, em 2006, terminou o doutorado na USP em Modelagem Molecular. Depois fez três anos de pós-doutorado na mesma universidade. Naquele período, participou de muitos congressos e ganhou prêmios. Também aprendeu mais três línguas: inglês, espanhol e italiano.

Em 2009 se mudou para João Pessoa (PB). Participou de mais de 30 congressos, tem artigos e capítulos publicados no exterior e é revisora de 20 revistas científicas. Atualmente está no quarto ano de pós-doutorado na Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Seu trabalho é pesquisar estruturas de moléculas em vários programas de computador, tentando relacionar estrutura molecular com uma atividade biológica. Por exemplo, ela pode investigar cem moléculas flavonoides contra Chagas. Dessas indica três para serem testadas experimentalmente. Ou ainda pode sugerir uma molécula para ser sintetizada e testada, otimizando a pesquisa por novos fármacos.

Para Luciana, o segredo de qualquer profissional bem-sucedido é se adaptar às mudanças e amar o que faz. “E para se apaixonar, nem sempre é necessário trabalhar no que sonhou. Veja o meu caso, sonhava uma coisa totalmente diferente e hoje amo o que faço”, declara que se adaptou a todas as adversidades que a vida lhe impôs. Ela diz que, para a grande maioria das pessoas, é mais fácil reclamar do que se adaptar e se dedicar. “Acredito que o maior obstáculo da profissão é o da vida: raramente as coisas são como sonhamos. Lutar pelos sonhos é lindo, mas saber aproveitar as oportunidades que a vida nos oferece é o segredo de viver bem”, revela ela.

5º Passo: Exercite sua criatividade, inove e crie novas oportunidades

As ideias surgem o tempo todo. É preciso prestar atenção a elas e transformá-las em projetos de sucesso.

Segundo Pires, citado no primeiro passo, independentemente do momento profissional em que cada farmacêutico se encontra, mais eficiente do que aproveitar as oportunidades é criá-las: “Há uma tríade poderosa e infalível: trabalho, qualificação e criatividade. Qualifique-se, seja criativo, trabalhe duro e não se deixe abater por dificuldades que existirão no percurso”.

Na opinião do empresário fundador e idealizador do portal Pfarma, um site destinado a alavancar o mercado e a carreira dos farmacêuticos, Fabio Reis, o mercado está cheio de oportunidades. A profissão oferece um leque para explorar novas possibilidades, e ele se diz satisfeito por sempre ter novos objetivos e novas metas a serem alcançadas. “A profissão farmacêutica é nobre, descrita em lindos poemas e exaltada em versículos bíblicos. É uma profissão que oferece muitas possibilidades e os farmacêuticos devem identificar aquela que mais gosta. Desta forma terão energia e disposição para realmente fazer a diferença e alcançar o sucesso”.

Reis reconhece que os profissionais reclamam da profissão, principalmente, no que se refere ao baixo piso salarial. Além disso, muitos se sentem desvalorizados tanto pelo empregador como pela sociedade. Porém, segundo ele, a profissão é formada por mais de 190 mil farmacêuticos distribuídos por todo o Brasil. “Se todos perceberem que são eles oportunamente os pontos de mudanças criativas, vão realizar uma verdadeira revolução na profissão e certamente os farmacêuticos vão conseguir ultrapassar todos esses obstáculos e conquistar seus devidos espaços”.

O empresário lembra que a ideia do Pfarma surgiu em sua vida, ainda de forma pouco concreta, mas era baseada numa necessidade própria que se tornou e uma oportunidade de negócio. Reis conta que, assim como todo estudante planejando sua carreira, ele passava horas na internet buscando informações sobre a profissão farmacêutica, porém sem muito êxito, já que o conteúdo de qualidade era restrito.

Por conta disso ele imaginou que outras pessoas - alunos e profissionais – também estavam interessadas em ler notícias e informações sobre a profissão farmacêutica e o mercado. Foi quando usou sua criatividade, aproveitando a oportunidade decidiu criar o portal Pfarma.

“Em 2004, quando idealizei o projeto, não possuía recursos para pagar um profissional e também poucos dados sobre programação estavam disponíveis. Diante desta barreira, passei a frequentar fóruns e grupos de discussões sobre programação e passava dias fazendo perguntas, sanando dúvidas e também ajudando outros usuários - o que potencializou muito o aprendizado”, relembra.

Em 2006, depois de muito planejamento, ele lançou a primeira versão, o Portal Farmacêutico Online, que depois passou a ser conhecido por Pfarma. Para manter o portal durante a época de faculdade de Farmácia foi um grande desafio, pois acordava às 4h e voltava para casa às 23h. Assim, utilizava os intervalos das aulas e o horário de almoço no estágio para criar novos conteúdos.

Ele se formou em 2009 e percebeu o quanto era difícil conseguir a primeira oportunidade. Desta forma, decidiu aceitar um emprego em uma drogaria, que não era o que desejava. Depois de alguns meses e de muita coragem, largou o emprego para investir nas suas ideias e criatividade. “Passei a estudar marketing digital, desde mídias sociais a conceitos novos na época como usabilidade e SEO (marketing para motores de busca) - conhecimentos que foram fundamentais para que, em pouco tempo, o negócio me proporcionasse sucesso e renda”, orgulha-se ele. Atualmente o Pfarma é um dos sites da profissão farmacêutica mais acessados em toda a América Latina.

6º Passo: Empreenda na vida, na carreira ou no próprio negócio

Empreender é buscar formas competitivas de crescer e de se destacar na carreira e nos negócios. Para essa conquista é preciso não desanimar com possíveis derrotas no meio do caminho. Persistência é a chave.

O pai de Krigsner, o farmacêutico que criou O Boticário, foi um comerciante nato e seu grande mestre, principalmente, para aprender a lidar com o empreendedorismo na vida e nos negócios. “O grande segredo para empreender é saber lidar com pessoas e obter delas o máximo da sua atenção e dedicação. O nosso negócio é baseado nessa boa relação entre as pessoas”, declarou o farmacêutico que atualmente faz das lições de seu mentor e pai a base para o seu sucesso.

Já a farmacêutica Janaina Gomes da Bio Extratus, citada no 1º passo, conta que quando se formou em 2000 e passou a atuar, ao lado dos irmãos, na fábrica da família, possuía apenas 12 funcionários. Na medida em que ela foi empreendendo em sua carreira e na empresa, o negócio foi crescendo, as áreas foram sendo divididas e, atualmente, há uma equipe com mais de 500 funcionários. Aquela pequena produção artesanal inicial foi se transformando ao longo dos anos na Bio Extratus, uma das fabricantes mais bem-sucedidas de cosméticos do País.

“Tenho sorte de fazer parte da diretoria de uma empresa que tem mais de 20 anos e que neste período cresceu muito, ganhou visibilidade tanto pela conquista de mercado como pela forma empreendedora de trabalhar. Tenho muito orgulho de fazer parte de uma empresa que é reconhecida pela sua responsabilidade socioambiental e pela qualidade dos seus produtos”, fala a farmacêutica.

7º Passo: Apaixone-se pelo seu trabalho

A paixão é um vetor para a conquista do sucesso. Ela auxilia a transposição de obstáculos e não mede barreiras.

O presidente do Conselho Científico do ICTQ e ex-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Dirceu Raposo de Mello, acredita que para ter sucesso é preciso ter paixão, é preciso fazer o que gosta e fazê-lo bem feito. “É isso o que trará a realização. Se você é farmacêutico, deve atuar de forma correta, ser adequado e ético. Isso vai trazer felicidade. Deve-se acreditar no que se faz e manter o foco”, preconiza.

Raposo é farmacêutico e é reconhecido por sua atuação plena, ou seja, ele se envolve completamente em tudo o que faz. Além de lutar pela classe farmacêutica com verdade e integridade, mas, acima de tudo, com paixão, ainda defende que o farmacêutico deve estar bem preparado e se qualificar ao longo de sua carreira. Para ele, sucesso depende do trabalho e do mérito. “Vá atrás de seu sonho porque ele não virá até você”, aconselha.

O farmacêutico presidiu a Anvisa por seis anos, é doutor em análises clínicas, pela UNESP; mestre em ciências da saúde pela universidade de Guarulhos; e especialista em análises clínicas, pela UnB. Foi dirigente de hospitais e unidades públicas de saúde e presidente do conselho regional de farmácia de São Paulo (CRF–SP), no período de 1998 a 2003. Sua trajetória na saúde pública do Brasil evidencia que ele é um dos líderes mais notórios e relevantes no cenário farmacêutico, nacional e internacional. É uma autoridade política e profissional que marcou a história sanitária do País. Tudo isso é fruto de seu amor pela profissão farmacêutica.

Ele defende: “A vida é curta, escolha sua carreira e dedique-se a ela. Na sua escolha é fundamental valorizar o longo prazo, ou seja, é preciso imaginar que sua profissão o acompanhará a vida toda, e essa decisão deve estar acima de variáveis como dinheiro ou prestígio. Ela deve dar prazer, pois você viverá com essa escolha durante muitos anos na sua vida”.

8º Passo: Transforme suas experiências em conhecimentos compartilhados

O sucesso pode ser percebido naqueles que adquiriram conhecimento extremo e conseguem transmiti-lo para que outros também busquem pelos seus objetivos.

José Carlos Tavares Carvalho - só a menção a este nome já causa reverência e admiração por suas reconhecidas conquistas na área acadêmica. No entanto, sua vida foi baseada em estudar os meandros da área farmacêutica e compartilhar todo seu conhecimento com os alunos. Sua vida é baseada em aprender e ensinar. Ele é um farmacêutico ícone de sucesso no meio acadêmico.

Estudou na Universidade Federal do Pará (UFPA), na época, era a única instituição que oferecia o curso de Farmácia. Saiu da graduação em dezembro de 1989 e em fevereiro de 1990 já estava no Mestrado na Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP (FCF-USP), em Ribeirão Preto (SP).

Não é possível parar de estudar. “A farmácia é dinâmica, então um bom farmacêutico sempre estará em plena busca, pois a cada dia novas tecnologias são implementadas, e precisamos acompanhar esse desenvolvimento. Minha meta é lutar pela implantação de um grande laboratório de pesquisa em fármacos aqui na Amazônia”, revela Carvalho. Ele coordena um laboratório na Universidade Federal do Amapá (UNIFAP), mas ainda não tem produção. No entanto, pretende ver a rica biodiversidade se transformando em produto para ajudar a população carente.

Para traçar uma meta ambiciosa, ele se perguntou: o que se espera de um farmacêutico formado na Amazônia? Que essa pessoa saiba muito sobre produtos naturais, pois o interesse no exterior pelo conhecimento dessa rica região é muito grande. Assim, ele acredita que deve conhecer o assunto mais que os colegas de outras regiões. “Eu me dedico em estudar, com tecnologias apropriadas, o aproveitamento dessa biodiversidade utilizando grande foco em inovação”, diz.

Sua trajetória no meio acadêmico foi marcada por muita dedicação. Ele nasceu numa família pobre, na cidade de Macapá, mas sua mãe era a grande incentivadora para que ele e seus oito irmãos estudassem - que era a única forma de saírem da pobreza. Assim, depois de toda formação básica em escola pública, ele entrou no curso de Farmácia na UFPA e foi aprovado em um concurso público para o antigo INAMPS, o que lhe deu condições financeiras de se manter em Belém (PA).

Gostava muito de homeopatia e plantas medicinais, assim montou um grupo de estudo nesses temas. “Na faculdade, trabalhei em pesquisa na área de farmacologia e fitoquímica, o que aumentou a minha vontade em seguir a carreira acadêmica, e ao final do curso, já entrei no mestrado em fármacos e medicamentos na USP. Ao mesmo tempo, comecei minha carreira como docente e pesquisador em Alfenas (MG)”, relembra. Após o mestrado já iniciouo Doutorado na FCF/USP, em São Paulo, onde consolidou a carreira como docente. Ao final do doutorado foi para a Índia (Lucknow) conhecer alguns laboratórios na área de ensaios clínicos.

Em 2003, saiu para um estágio de Pós-Doc, em Berlim (Alemanha). “Essa experiência foi muito interessante, porque aumentou o meu contato com pesquisadores da área de produtos naturais, e tive tempo para escrever três livros. Nesse período comecei a pensar em voltar para a Amazônia, o que aconteceu por meio de um concurso, em 2005, para a UNIFAP”.

Em 2006 foi eleito Reitor da UNIFAP, e em 2010 foi reeleito. Essa experiência foi marcante no sentido de promover a expansão da universidade e ampliar os cursos da área da saúde, inclusive o de Farmácia. A sua tradição em compartilhar conhecimentos fez com ele chegasse ao sucesso ocupando o topo de uma carreira academia – a reitoria.

9º Passo: Desenvolva sua responsabilidade social e mostre o seu valor para a sociedade

O Brasil é privilegiado pela quantidade ímpar de histórias de farmacêuticos que projetaram suas carreiras na busca de responsabilidade social em diversos aspectos políticos e jurídicos.

No entanto, uma farmacêutica cearense merece o destaque de honra. Não por seus feitos no exercício da farmácia, mas por suas conquistas sociais e legais no âmbito nacional e até internacional.

Ela é Maria da Penha, formada em Farmácia pela Universidade Federal do Ceará e com mestrado em Parasitologia em Análises Clínicas pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (FCF-USP).

Sua história ganhou repercussão internacional e é amplamente conhecida. Em maio de 1983 Maria da Penha foi vitimada por seu então marido, Marco Antonio Heredia Viveros, com um tiro nas costas enquanto dormia – o que a deixou paraplégica. Seu agressor, por duas vezes, foi julgado e condenado, mas saiu em liberdade devido a recursos impetrados por seus advogados de defesa.

Em 1994 publicou o livro Sobrevivi... Posso Contar (reeditado em novembro de 2010, pela editora Armazém da Cultura), que em 1998 serviu de instrumento para, em parceria com o Comitê Latino-americano e do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher (CLADEM) e do Centro pela Justiça e o Direito Internacional (CEJIL), denunciar o Brasil na Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA).

Essa denúncia resultou na condenação internacional do Brasil pela tolerância e omissão estatal com que eram tratados os casos de violência contra a mulher pela justiça brasileira. Dessa forma, o Brasil foi obrigado a cumprir algumas recomendações, como mudar a legislação brasileira para proteger a mulher em situação de violência doméstica, e a punição do agressor. E assim foi crida a Lei Federal 11340/06 - Lei Maria da Penha.

Ela foi eleita Mulher de Coragem pelo Governo Americano, a Ordem de Cruz de Dama de Isabel la Católica - condecoração concedida pela Embaixada do Reino da Espanha e o Prêmio Direitos Humanos 2013. “Não é fácil ter coragem, principalmente para transformar a própria vida. Devemos ter em mente que temos direito a uma vida digna, longe do medo e da opressão. Sei que não é fácil romper com o ciclo da violência e denunciar o agressor, porém atualmente podemos contar com a Lei Maria da Penha e seus mecanismos para encorajar a mulher em situação de violência”, fala ela.

Maria da Penha defende que é possível lutar contra adversidades tão grandes e se sair vitoriosa, porém nenhuma luta é fácil. “A minha durou 19 anos e seis meses para que o meu agressor fosse punido. Comecei esta luta sozinha e sempre me senti órfã do Estado. Porém, o mais importante é que no final esta conquista não foi só para mim, mas para todas as mulheres do meu País. Considero a Lei Maria da Penha carta de alforria da mulher brasileira”, analisa ela.

Em sua luta, Maria da Penha reconhece o papel do farmacêutico no contexto da ajuda contra a violência doméstica e familiar contra a mulher. “O farmacêutico, assim como todas as profissões que lidam com acolhimento, devem estar informados e preparados para lidar com a situação. Muitas vezes a farmácia é o primeiro local onde a mulher procura ajuda, depois de receber uma agressão. Se contarmos com uma equipe de farmacêuticos capacitada para esclarecer às mulheres onde procurar ajuda, quais os órgãos de atendimento que existem na cidade ou uma simples informação sobre o que é a Lei Maria da Penha podemos com isso salvar a vida de uma mulher e de seus filhos”, ressalta.

Para Maria da Penha, ser bem-sucedido, independentemente da área em que atua, é conquistar seus objetivos por meio do esforço, coragem, persistência e perseverança, nunca desistindo diante dos obstáculos e sempre com um olhar socialmente responsável para com o próximo! “Para ser feliz é preciso ter fé em Deus e não desistir da vida. Precisamos ter coragem para vencer os obstáculos e mudar de vida sempre que for necessário!”, incentiva ela.

10º Passo: Seja ético e faça a diferença

A força da ação gera importantes conquistas. Fazer a diferença significa agir com foco e com consistência acima de tudo, mas sem abandonar os princípios éticos.

O diretor Técnico da Pharmaceutical Consultoria, Marlon Barg, não escolheu Farmácia como primeira opção, mas sua razão e sua emoção o fizeram se apaixonar pelo curso. Depois de formado, inicialmente ele queria trabalhar em uma grande indústria cosmética, na qual pudesse realizar experimentos e criar algo novo. Com o amadurecimento das ideias e com o crescimento profissional suas expectativas foram mudando na medida em que percebia diversas deficiências no mercado em que atua, que é muito mais focado nas farmácias magistrais. “De uma coisa eu tinha certeza: eu iria fazer a diferença e iria trabalhar com algo que realmente exigisse meu conhecimento acadêmico e que fosse além, que me obrigasse a estudar, a me atualizar e estar sempre por dentro dos acontecimentos do mercado”, fala.

Este espírito inquieto foi o que não permitiu a ele ser apenas mais um no mercado de trabalho. Ele desejava prosperar e comprou uma farmácia de manipulação, onde adquiriu bastante experiência e, então, iniciou atividades como propagandista, o que despertou nele grande paixão. Naquela época morava em Piracicaba, no interior de São Paulo, onde cursava pós-graduação em Cosmetologia. Terminou o curso e resolveu voltar à terra natal, Florianópolis (SC), onde recomeçou a vida como farmacêutico e montou a Pharmaceutical. Depois de um começo difícil e com pouco retorno, o negócio, aos poucos, começou a crescer e ele passou a ser valorizado por grandes empresas do segmento.

Ele se diz um profissional extremamente bem-sucedido e dá o caminho das pedras a quem quiser prosperar: “primeiramente tenha conhecimento técnico concreto. Não tente achar que sabe tudo. Estude, estude e estude! Invista em cursos de atualização, especializações, mestrado e doutorado, sem falar do básico, o inglês”.

Barg comenta que a maioria dos farmacêuticos reclama, mas não querem mudar. “Sempre vejo farmacêuticos clamando por melhorias de salários, redução da jornada de trabalho...mas eles se comportam como meros escrituradores de receitas e entregadores de remédio, tanto é que muitas vezes o público não sabe diferenciar o farmacêutico do balconista”, polemiza. Ele diz que muitos vivem se comparando aos médicos e aos privilégios que a outra classe tem e se esquecem de cuidar da sua própria profissão. Todo profissional, antes de ingressar na sua carreira, sabe muito bem quanto é o piso salarial base, assim como as possibilidades de crescimento. “Se você desejar algo que vá além deste piso é necessário inovar, fazer a diferença e procurar se destacar neste mercado tão concorrido, para simplesmente não ser mais um”, dispara.

O sucesso de Barg é reconhecido na Pharmaceutical Consultoria uma conceituada empresa especializada no segmento magistral. Elabora papers (visual aids) para que as farmácias desenvolvam a visitação aos prescritores por meio da utilização de artigos científicos e, com isso, consigam prosperar por meio de procedimentos e ferramentas de marketing de forma ética. Além disso, presta suporte técnico para estas empresas, auxiliando no esclarecimento de dúvidas rotineiras, orientando-as para que consigam se destacar no mercado e atingir os objetivos esperados. Além disso, a empresa é reconhecida nacionalmente pela elaboração de Procedimentos Operacionais Padrão e Manuais de Boas Práticas em diversos segmentos farmacêuticos.

Atendimento

Atendimento de segunda a sexta-feira,
das 08:00 às 18:00 horas.

Telefones:

  • 0800 602 6660
  • (62) 3937-7056
  • (62) 3943-1157

Whatsapp

  • (62) 99473-1495

 

 

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua Tobias Barreto, nº 803, Mooca, São Paulo - SP.

CEP: 03.176-000

Telefone: (11) 2607-6688

Fale conosco