Portal do Aluno Portal do Aluno

Vigilância Sanitária e Saúde Pública

Vigilância Sanitária

Sistema é um conjunto interconectado de elementos organizados de forma coerente em torno de algum objetivo único a todos. Um sistema consiste em três tipos de coisas: Elementos com funções específicas; interconexões, e objetivo único.

O que não é um sistema: Tudo aquilo cujos elementos não tenham nenhuma interconexão objetiva. Um amontoado de areia numa praia não forma nenhum sistema, embora estejam juntos. Vários órgãos trabalhando em um mesmo setor ou prédio não formam um sistema.

A ferramenta mais poderosa de um sistema é o seu objetivo único, sem o qual se torna impossível a aplicação de qualquer teoria ou ferramenta. Aliás, este é, ao mesmo tempo, a grande alavanca impulsionadora e o grande ponto fraco da Teoria Sistêmica, pois a impossibilidade de se garantir um foco e visão única em torno de um objetivo universal torna in-gerenciável qualquer estrutura sistêmica. Com isso retornaremos a questão inicial: qual é o objetivo único e universal do SUS: Saúde? Tecnologia? Construção de hospitais? Atendimento de qualidade? Financiamento? ...

Em primeiro lugar teremos que definir a que propósito a Saúde deverá atender para daí definirmos sua estrutura e indicadores de desempenho. Em seguida teremos que definir qual a função social que essa estrutura exercerá e, por último, teremos que definir o quê essa estrutura pretende fazer para exercer sua função social.

Embora o discurso seja bonito e todos falem em nome dele, na verdade, o que foi criado, na prática, é tudo menos um sistema, menos ainda único e que se preocupa com tudo, menos com a dignidade e a saúde humana. Mas questionar é simples, isso qualquer um pode fazer sem possuir muito conhecimento de causa e efeito. O importante é conseguir apresentar soluções práticas e executáveis. Entender a ciência é saber que a mesma deve ser usada como uma ferramenta metodológica para exibir/mostrar o que está oculto, tal ação, infelizmente, não ocorre na atual sociedade.

Ao se criar um sistema único para a saúde, pressupõe-se que, assim como o nosso sistema circulatório e digestivo, dentre outros, todos os setores e órgãos voltados à preservação da saúde humana estariam interligados e trabalhando para um principio universal, cada um desempenhando sua função social (seja pública ou privada). No entanto o SUS implantado possui diversos órgãos trabalhando sozinhos, com funções específicas (porém verticalizadas) e cada um possui o seu objetivo departamental, não permitindo que haja qualquer interconexão entre os inúmeros órgãos e setores, desse monstro chamado de sistema.

Ao invés da meta universal perseguida por todos, o que se vê são disputas em torno de objetivos corporativos, nos quais a saúde da população é muito mais tratada como conseqüência do que a causa de alguma ação, com isso a capacidade de intervenção dos agentes vem diminuindo e as tão sonhadas reformas (democrática, sanitária, etc) acabam se perdendo em caixas pretas.

Com isso o que se vê é a implementação de políticas elaboradas a partir de interesses diversos e até mesmo contraditórios das forças sociais ou mesmo vinculadas ao poder econômico seja na reprodução do modelo econômico exploratório ou na manutenção da produção de insumos e serviços.

Agora responda: como mudar isso? Criando um sistema único?...e, o que você tem a ver com isso?

Atendimento

Atendimento de segunda a sexta-feira,
das 08:00 às 18:00 horas.

Telefones:

  • 0800 602 6660
  • (62) 3937-7056
  • (62) 3943-1157

Whatsapp

  • (62) 99473-1495

 

 

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua Tobias Barreto, nº 803, Mooca, São Paulo - SP.

CEP: 03.176-000

Telefone: (11) 2607-6688

Fale conosco