Portal do Aluno Portal do Aluno

Sobre a minha jornada farmacêutica na Suécia

Fala nação farmacêutica! Como já é de conhecimento dos meus nobres colegas, estive recentemente em uma jornada na Suécia, participando do 6º Congresso Mundial de Ciências Farmacêuticas da FIP – PSWC, e claro, ví e vivenciei muitas coisas diferentes por lá.

No meu retorno, naturalmente muitos têm me procurado para saber mais sobre como foi a viagem, e sobre como funciona a farmácia naquele país, e por isso de uma forma breve e objetiva vou compartilhar aqui algumas curiosidades históricas e contemporâneas, sobre o mercado, a farmácia e a profissão farmacêutica na Suécia...

Vamos com um pouco de história

Por lá, desde o século XVIII havia um sistema de privilégios, no qual só poderia ter e operar uma farmácia quem tivesse a autorização do Rei. Este sistema perdurou até 1920, mas já em 1970, com a farmácia nacionalizada através de um movimento de esquerda, o Governo passou a controlar este negócio, na qual passou a existir apenas a farmácia estatal Apoteket AB.

Existiam 929 farmácias em 2009, e a partir de 1º de julho de 2009, através da chamada “re-regulação” ou “desregulamentação” houve o fim do monopólio estatal. Com isso, surgiram outros quatro grandes grupos farmacêuticos no país: Apotek Hjärtat Ica, Kronans Apotek, Apoteksgruppen, Lloyds Apotek, além da Apoteket e outras pequenas farmácias independentes.

O faturamento deste negócio em 2016 foi de 40 bilhões de Coroas Suecas (SEK), sendo que destes, 75% são medicamentos prescritos, 15% outros produtos (por exemplo: HPC) e 10% de medicamentos isentos de prescrição médica - MIP. Em 2017 já são cerca de 1.390 farmácias naquele país, e aproximadamente 7.000 pontos de venda (PDV) com permissão para vender MIP.

Existem três categorias diferentes de funcionários nas farmácias suecas; Farmacêuticos (5 anos de estudos universitários), prescriptionists (3 anos de estudos universitários) e técnicos (anteriormente 3 anos do ensino secundário, mas agora 1,5 ano pós-secundário). Para atuar, todos estes profissionais devem estar devidamente licenciados pela National Board of Health and Welfare – Conselho Nacional de Saúde e Bem-estar (Socialstyrelsen).

Um farmacêutico na Suécia, é um especialista da sociedade em medicina. Farmacêuticos trabalham principalmente dentro da indústria farmacêutica, pesquisa, desenvolvimento e controle de medicamentos, fomentando médicos e pacientes com informações e pesquisas avançadas para farmácias e agências governamentais.

Um prescriptionist é especialista em produtos farmacêuticos (medicamentos). Prescriptionists trabalham principalmente em farmácias, onde fornecem informações farmacêuticas aos clientes. No entanto, você também pode trabalhar na indústria farmacêutica com tarefas como assuntos regulatórios.

O técnico trabalha apenas com outros produtos, tais como HPC, fazendo o atendimento exclusivamente fora do balcão das farmácias.

Salários na indústria farmacêutica, em farmácias e no setor público são definidos individualmente. Você é pago de acordo com o seu nível educacional e resultados que traga em seu trabalho. O salário inicial na indústria é de 30.000 Coroas Suecas (SEK) por mês. Aos 35 anos de idade, a média salarial para um farmacêutico era de 45.000 SEK e aos 45 anos era de 55.000 SEK. Recém-formados que trabalham em farmácias auferem por volta de 28.000 SEK por mês. Aos 35 anos a média é de 35.000 SEK, e aos 45 anos 38.000 SEK. No setor público o farmacêutico recebe inicialmente 28.000 SEK por mês. Aos 35 anos a média é de 36.000 SEK, e aos 45 anos 44.000 SEK. O câmbio da SEK para o Real hoje é de 2,65, ou seja, 30.000 SEK, por exemplo, será R$ 11.320,75. Lembrando que estes são dados estatísticos de 2012.

Minha visita a uma farmácia em especial...

A fim de explorar mais profundamente o papel do farmacêutico e a farmácia na Suécia, durante minha estadia no País, visitei a farmácia Apoteket C.W. Scheele, em Klarabergsgatan, próxima à Estação Central de Estocolmo, e tive o privilégio de ter um excelente bate-papo com a gerente farmacêutica Katarina Sommar, que me esclareceu pontos fundamentais da empresa e dos farmacêuticos na Suécia.

Dentre esses pontos: Farmacêutico na Suécia não pode prescrever e não cobra para realizar a consulta, no entanto, pelo menos na Apoteket, o mesmo realiza aconselhamento sobre os medicamentos dos pacientes, exame completo de saúde (semiologia e anamnese), teste de sensibilidade à alergia, verificação de glicemia, aferição de pressão arterial, coaching em parar de fumar, controle do peso. A vacinação é realizada por enfermeiras contatadas terceirizadas, em sala exclusiva e reservada para esta atividade.

No caso da farmácia Apoteket, mesmo após a desregulamentação, ela ainda é a maior cadeia de farmácias da Suécia. Em 2016 alcançou SEK 20,3 bilhões. Anualmente recebe cerca de 34 milhões de clientes nas lojas e 20 milhões de visitantes no site apoteket.se e no aplicativo. Está presente em hospitais e enfermarias. Possui um clube de clientes com 2,2 milhões de membros. São 3.200 funcionários, empregados de 88 países e que falam 55 línguas, sendo um pouco mais da metade de farmacêuticos e prescriptionists. A Apoteket possui 390 farmácias e 640 representantes - PDVs distintos das farmácias (supermercados por exemplo) autorizados a vender MIP.

Olhem que curioso - essa farmácia atua também no mercado para dentistas, serviços veterinários e criação de animais, entrega a domicílio de alimentos especiais, preparações de quimioterapia e medicamentos licenciados a doentes e centros de cuidados residenciais, preparação e dispensação de medicamentos multidoses em embalagens individualizadas.

A estrutura física da Apoteket é extremamente funcional e agradável. Há a separação por categorias de produtos no autoatendimento, com a presença de técnicos para auxiliar os clientes/pacientes. Além de medicamentos, a farmácia conta com outros produtos, tais como HPC e alimentos – frutas e bebidas não alcoólicas.

Os medicamentos de prescrição ficam atrás do balcão em prateleiras com gavetas, além de possuir um sistema de refrigeração para produtos termolábeis. O atendimento com o farmacêutico ocorre apenas no balcão, que possui separação em guichês, sendo que um destes possui uma cortina para a realização de um atendimento mais exclusivo.

Este atendimento, eu observei de perto, e posso constatar que é altamente organizado e realizado através de uma senha – a qual o cliente/paciente retira em um dispositivo – que é sinalizada através de um painel eletrônico o qual indica o número da senha e do guichê no balcão. Para que o cliente/paciente aguarde o atendimento, a farmácia conta com locais exclusivos munidos de cadeiras e televisão, onde passam propagandas de produtos e outras informações de saúde e bem-estar.

Mais sobre minha viagem

Como vocês tem acompanhado, no grupo do Facebook Farmacêuticos do ICTQ, tenho relatado alguns resumos das palestras que participei no 6º Congresso Mundial de Ciências Farmacêuticas da FIP – PSWC. Fiquem ligados nos meus posts por lá, pois devo compartilhar outros três ou quatro resumos que com certeza enriquecerão o conhecimento farmacêutico de todos.

Dr. Ismael Rosa, Farmacêutico Clínico Especialista em Farmácia Clínica e Prescrição Farmacêutica (ICTQ), Especialista em Vigilância Sanitária na Indústria Farmacêutica (ICTQ), Pesquisador, Gerente e Orientador de TCC. Atuou na Indústria Farmacêutica nas áreas de Garantia da Qualidade, Controle de Qualidade e Farmacovigilância.

Atendimento

Atendimento de segunda a sexta-feira,
das 08:00 às 18:00 horas.

Telefones:

  • 0800 602 6660
  • (62) 3937-7056
  • (62) 3943-1157

Whatsapp

  • (62) 99473-1495

 

 

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua Tobias Barreto, nº 803, Mooca, São Paulo - SP.

CEP: 03.176-000

Telefone: (11) 2607-6688

Fale conosco