Coronavírus: 11 perguntas mais frequentes dos pacientes nas farmácias

Coronavírus: 11 perguntas mais frequentes dos pacientes nas farmácias

Em meio ao surto ocasionado pelo novo coronavírus (Covid-19), há muita informação circulando nas redes sociais, grupos de WhatsApp e na internet como um todo. Com isso, é comum que a população tenha muitas dúvidas. Por isso, os profissionais que atuam na linha de frente no combate ao vírus, como os farmacêuticos, por exemplo, precisam estar preparados para responder aos questionamentos frequentes.

Com base nisso, o Ministério da Saúde (MS) tem feito várias recomendações aos profissionais que atuam na Atenção Primária à Saúde (APS) sobre as perguntas mais frequentes feitas por pacientes, relacionadas à Covid-19, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

Receba nossas notícias por e-mail: Cadastre aqui seu endereço eletrônico para receber nossas matérias diariamente

Vale ressaltar que essas orientações são válidas também para os farmacêuticos que atuam nas redes de farmácias, já que esses estabelecimentos têm um importante fluxo de pacientes todos os dias.

Confira as 11 perguntas mais frequentes:   

Devo usar máscara 24 horas por dia?

Segundo a orientação do MS, todos os profissionais que atuam em ambientes de saúde, como, por exemplo, farmácias e hospitais, devem usar máscara durante a assistência ao paciente. Além disso, as pessoas infectadas, em geral, também devem fazer uso do utensílio.

Já em local domiciliar, o utensílio deve ser utilizado por pessoas, na população em geral, com sintomas da doença e por cuidadores. O órgão reforça que o produto não precisa ser usado, 24 horas por dia, no caso de pessoas que não estão infectadas ou que não apresentam suspeitas de estar com a Covid-19, para que, assim, o desperdício desse equipamento de proteção individual (EPI) seja evitado.  

Álcool em gel é melhor do que lavagem das mãos? 

Tanto o álcool em gel como a lavagem das mãos são medidas que evitam a proliferação e contaminação pelo vírus. No entanto, o uso da substância química tem efeito mais prolongado. Mas é importante reforçar que o MS indica o uso do álcool em gel, principalmente, em ambientes externos, pois, são locais em que as pessoas não podem lavar as mãos.

Nas residências, lavar as mãos com água e sabão, entre as unhas, dedos e punho é bastante eficaz no combate à doença, além disso, a iniciativa também ajuda a evitar o desperdício.

Posso usar Ibuprofeno?

A polêmica em torno do Ibuprofeno surgiu após autoridades em saúde recomendarem aos pacientes que o uso do fármaco deveria ser evitado, pois, poderia aumentar os níveis de um receptor que facilita a entrada do vírus nas células.

No entanto, após ampla repercussão, a Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que não há evidências suficientes para não indicar o uso do medicamento. Segundo a entidade, a utilização vai depender, portanto, da avaliação médica. Contudo, reforçou que a automedicação é perigosa.

Hidroxicloroquina e cloroquina curam a Covid-19?

Apesar de alguns estudos terem apresentado resultados promissores em pacientes que fizeram uso da hidroxicloroquina no tratamento contra o novo coronavírus, ainda não há comprovação nem evidências que atestem a eficácia da terapia. Entre muitos alertas, está o fato de que a substância pode apresentar efeitos colaterais graves.

Além disso, o produto é utilizado por pessoas que tratam outras doenças, que podem ficar sem o medicamento caso o uso descontrolado seja estimulado. Sendo assim, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) enquadrou o fármaco como “remédio de uso controlado”, ou seja, só pode ser vendido com prescrição médica e acompanhamento do farmacêutico.

Posso usar antibióticos contra o novo coronavírus?

Nessas situações, a recomendação é informar ao paciente que antibióticos são utilizados contra infecções causadas por bactérias, e não por vírus. Sendo assim, esses medicamentos não funcionam contra Covid-19. Além disso, é importante reforçar que não deve ser consumido sem prescrição médica.

Por que preciso me isolar se não estou doente?

Mesmo em caso de pessoas que não estão doentes o isolamento social (realizado por meio da quarentena decretada em muitos Estados) é recomendado porque boa parte da população pode ter o vírus, mas estar assintomática. Nesse sentido, evitar aglomerações é a forma mais indicada, por todos os principais órgãos de saúde do mundo, para conter a proliferação da doença.

A vacina Influenza previne a Covid-19?

Não, o novo coronavírus é diferente do vírus da Influenza (H1N1). É importante reforçar aos pacientes que, até o momento, não existe uma vacina contra a Covid-19.

publicidade inserida(https://sibrafar.com.br/)

É possível pegar o novo coronavírus por meio da comida?

De acordo com as autoridades em saúde, não há evidências científicas que comprovem essa teoria. No entanto, a OMS indica boas práticas de higiene e de segurança na hora de se alimentar. Por isso, é importante recomendar que os pacientes lavem bem as mãos antes e depois das refeições.

Além disso, há orientações sobre evitar o consumo de alimentos crus ou mal cozidos, já que o novo coronavírus é classificado na família de termolábeis, que significa que ele é suscetível a altas temperaturas e ao cozimento normal (em cerca de 70°).

Vitamina C, Vitamina D ou chá de erva doce protegem contra o vírus?

Não há comprovações que essas substâncias possam prevenir ou proteger os pacientes do novo coronavírus. No entanto, é importante reforçar ao paciente que ele tenha uma boa alimentação e tome bastante líquido.

Animais domésticos podem ser infectados com o novo coronavírus?

Nesse caso, informe o paciente que não existem comprovações de que os animais domésticos possam ser vetores. Portanto, não há motivo para abandono.

Mulheres lactantes que tenham sido infectadas podem continuar amamentando?

Mulheres infectadas e saudáveis devem e podem continuar amamentando os bebês, pois, o vírus não é transmitido pelo leite. No entanto, é recomendado o uso de máscara no momento da amamentação.

Participe também: Grupo de WhatsApp para receber notícias farmacêuticas diariamente

Obrigado por apoiar o jornalismo profissional

A missão da Agência de notícias do ICTQ é levar informação confiável e relevante para ajudar os leitores a compreender melhor o universo farmacêutico. O leitor tem acesso ilimitado às reportagens, artigos, fotos, vídeos e áudios publicados e produzidos, de forma independente, pela redação da Instituição. Sua reprodução é permitida, desde que citada a fonte. O ICTQ é o principal responsável pela especialização farmacêutica no Brasil. Muito obrigado por escolher a Instituição para se informar.

Veja mais materias sobre:

Farmácia, Farmácia Clínica, coronavírus

Atendimento

Atendimento de segunda a quinta-feira das 08:00h às 18:00h e sexta-feira das 08:00h às 17:00h (Exceto Feriados).

Telefones:

  • 0800 602 6660
  • (62) 3937-7056
  • (62) 3937-7063

Whatsapp

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua: Haddock Lobo, n° 131, Sala: 910, Cerqueira César.

CEP: 01414-001 , São Paulo -SP.

Fale conosco

PÓS-GRADUAÇÃO - TURMAS ABERTAS