Anti-inflamatório da Roche ajuda em casos graves de Covid-19

Anti-inflamatório da Roche ajuda em casos graves de Covid-19

O anti-inflamatório tocilizumab, que a Roche batizou de Actemra, ajudou pacientes mais graves de Covid-19 em um estudo com 303 pessoas realizado pelo Imperial College de Londres, revelou a agência Reuters.

Segundo o professor de anestesia e cuidados críticos do Imperial College de Londres, Anthony Gordon, o Actemra ajudou pacientes mais graves de Covid-19 em um estudo com três centenas de pessoas, o que fortalece os indícios até agora mistos de que o medicamento contra artrite reumatoide pode ser reaproveitado para auxiliar no combate à pandemia.

Ainda de acordo com o professor, o anti-inflamatório alcançou um “ponto central de eficiência” entre pacientes gravemente doentes na comparação com aqueles que não receberam tratamentos de modulação imunológica, conforme dados iniciais do teste Remap-Cap.

Embora o aumento da sobrevivência seja ideal, reduzir a necessidade de cuidados intensivos também é importante, já que diminuiria o fardo sobre os hospitais, nos quais a taxa de ocupação cresceu durante a segunda onda de infecções do novo coronavírus.

“Ainda achamos que é importante”, disse Gordon em uma conversa com repórteres, segundo a Reuters. “Mas, obviamente, esperamos que ele melhore ambos, e estamos buscando isso”, salientou.

Quando o sistema imunológico responde ao coronavírus pode causar inflamação. A ideia é que o tocilizumab seria capaz de bloquear a ‘tempestade inflamatória’ causada pela Covid-19.

Durante o surto de Covid-19 na Itália, em março, os pacientes que receberam o tratamento tinham menos probabilidade de necessitar de ventilação ou até de morrer. O tocilizumab é administrado por via intravenosa para bloquear a proteína inflamatória IL-6.

Receba nossas notícias por e-mail: Cadastre aqui seu endereço eletrônico para receber nossas matérias diariamente

publicidade inserida(https://sibrafar.com.br/)

A Roche iniciou outro teste com 452 pacientes em março, mas os resultados não foram bons. “O estudo Covacta não alcançou seu objetivo primário de melhorar o estado clínico em pacientes com pneumonia associada à Covid-19, nem a finalidade secundária de redução da mortalidade dos pacientes obteve êxito”, revelou comunicado da empresa na época.

Apesar disso, uma pesquisa do medicamento continuou na Grã-Bretanha. “Estamos investigando o uso do tocilizumabe em pacientes mais doentes, enquanto o estudo da Roche analisou pacientes com doenças mais leves”, disse à Reuters um porta-voz da equipe de estudo.

Mesmo sem dados específicos ainda, Gordon revelou que o sinal inicial do estudo atual é promissor, já que existe 99,75% de probabilidade de o Actemra ser melhor do que não receber nenhum modulador do sistema imunológico.

Participe também: Grupos de WhatsApp e Telegram para receber notícias farmacêuticas diariamente

Obrigado por apoiar o jornalismo profissional

A missão da Agência de notícias do ICTQ é levar informação confiável e relevante para ajudar os leitores a compreender melhor o universo farmacêutico. O leitor tem acesso ilimitado às reportagens, artigos, fotos, vídeos e áudios publicados e produzidos, de forma independente, pela redação da Instituição. Sua reprodução é permitida, desde que citada a fonte. O ICTQ é o principal responsável pela especialização farmacêutica no Brasil. Muito obrigado por escolher a Instituição para se informar.

Veja mais materias sobre:

Medicamentos, Farmácia Clínica, Covid-19

Atendimento

Atendimento de segunda a sexta-feira,
das 08:00 às 18:00 horas.

Telefones:

  • 0800 602 6660
  • (62) 3937-7056
  • (62) 3937-7063

Whatsapp

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua: Haddock Lobo, n° 131, Sala: 910, Cerqueira César.

CEP: 01414-001 , São Paulo -SP.

Fale conosco

PÓS-GRADUAÇÃO - TURMAS ABERTAS