Anvisa aprova medidas para agilizar registro de vacinas contra Covid-19

Anvisa aprova medidas para agilizar registro de vacinas contra Covid-19

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou nova instrução normativa que pode acelerar o registro de vacinas contra a Covid-19. O documento permite que empresas interessadas em registrar vacinas no Brasil mandem os dados de estudos aos poucos, sem precisar reunir a documentação de uma vez só, revelou a Agência Brasil.

Publicada ontem (18/11) no Diário Oficial da União, a decisão cria regras sobre o processo conhecido como submissão contínua de dados técnicos, autorizando os laboratórios que testam medicamentos a apresentar os resultados sobre a pesquisa das vacinas à medida que os estudos ocorrem e não apenas ao fim de cada etapa, como normalmente ocorre.

Os diretores da Anvisa também autorizaram que, se os imunizantes se mostrarem eficazes, seguros e de boa qualidade, a Agência dispense a análise de impacto regulatório e a consulta pública sobre uma nova vacina. Isso por causa da urgência e da gravidade da situação e da necessidade de atuação imediata contra a pandemia.

“A medida possibilitará acelerar a disponibilização à população brasileira de vacinas contra o novo coronavírus, desde que demonstradas qualidade, segurança e eficácia conforme os requerimentos técnicos e regulatórios vigentes”, informou a Agência em nota, conforme a Reuters. Os Estados Unidos, a China e países da União Europeia também adotaram a submissão contínua dos resultados da pesquisa, para acelerar o registro das vacinas.

Receba nossas notícias por e-mail: Cadastre aqui seu endereço eletrônico para receber nossas matérias diariamente

publicidade inserida(https://www.ictq.com.br/pos-graduacao)

Para que o laboratório possa ser aceito para o procedimento acelerado a Anvisa exige que seja apresentado o Dossiê de Desenvolvimento Clínico de Medicamento, que inclui, entre outros documentos, um plano dos ensaios clínicos e metodologias a serem usadas, uma descrição do medicamento e outros dos ensaios já feitos, com resultados, apurou o Jornal do Brasil.

Além disso, a vacina já deve estar na fase 3 de testes clínicos, o último antes do pedido de registro. As medidas só valem para vacinas contra a Covid-19 e não se aplicam a outro medicamento ou vacina, conforme o G1.

Atualmente, no Brasil existem quatro vacinas na fase 3 (final) de testagem: Astrazeneca, em parceria com a Universidade de Oxford; Pfizer e Biontech; Johnson & Johnson, por meio da subsidiária Janssen; e a Coronavac, do laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

Participe também: Grupos de WhatsApp e Telegram para receber notícias farmacêuticas diariamente

Obrigado por apoiar o jornalismo profissional

A missão da Agência de notícias do ICTQ é levar informação confiável e relevante para ajudar os leitores a compreender melhor o universo farmacêutico. O leitor tem acesso ilimitado às reportagens, artigos, fotos, vídeos e áudios publicados e produzidos, de forma independente, pela redação da Instituição. Sua reprodução é permitida, desde que citada a fonte. O ICTQ é o principal responsável pela especialização farmacêutica no Brasil. Muito obrigado por escolher a Instituição para se informar.

Veja mais materias sobre:

Farmacêutica, ANVISA, Covid-19

Atendimento

Atendimento de segunda a sexta-feira,
das 08:00 às 18:00 horas.

Telefones:

  • 0800 602 6660
  • (62) 3937-7056
  • (62) 3937-7063

Whatsapp

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua: Haddock Lobo, n° 131, Sala: 910, Cerqueira César.

CEP: 01414-001 , São Paulo -SP.

Fale conosco

PÓS-GRADUAÇÃO - TURMAS ABERTAS