BBB21: Sarah coloca em dúvida eficácia de vacinas contra o coronavírus

BBB21: Sarah coloca em dúvida eficácia de vacinas contra o coronavírus

Recentemente, o Brasil atingiu a triste marca de mais de 300 mil mortos pelo novo coronavírus (Covid-19). Um dos motivos apontados por muitos especialistas para esse cenário é o atraso na vacinação da população, entretanto, mesmo com muitas informações sobre esse assunto ainda há um sentimento de negacionismo em relação à eficácia dos imunizantes no combate à doença. Um exemplo disso pode ser visto no programa de maior audiência atualmente do País, o Big Brother Brasil 21, em que a participante Sarah Andrade afirmou que desacredita da atuação dos antígenos.  

Em conversa com outro confinado do reality, Gilberto Nogueira, a sister disse acreditar que algo muito grande ocorreu no mundo enquanto os dois estão na casa, pois, ela já chegou a ser advertida, recentemente, por Tiago Leifert, por conta de comentários sobre a Covid-19.

Receba nossas notícias por e-mailCadastre aqui seu endereço eletrônico para receber nossas matérias diariamente

Nesse sentido, Sarah destacou que, em sua opinião, as vacinas não foram efetivas no combate à doença. “Quando a gente entrou, os Estados Unidos já estavam vacinando. Não devem ter sido efetivas as vacinas. Porque, se não, [as vacinas] já teriam se espalhado pelo mundo”, pontuou.

Outras polêmicas

Inicialmente, Sarah chegou a ser uma das preferidas do público no reality global. Entretanto, após declarações polêmicas a participante perdeu sua popularidade e, possivelmente, será a eliminada no paredão de hoje (30/03).

Entre algumas revelações, Sarah chegou a contar que aglomerou no Réveillon e demonstrou simpatia pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), fato que rendeu muitas críticas a ela e queda em números das redes sociais.  No Instagram, por exemplo, logo após os comentários positivos em relação ao líder da República, a sister perdeu mais de 1 milhão de seguidores.

publicidade inserida(https://www.ictq.com.br/pos-graduacao)

Opinião de especialistas

Para o farmacêutico Rafael Poloni, que é professor da pós-graduação em Farmácia Clínica e Prescrição Farmacêutica no ICTQ – Instituto de Pesquisa e Pós-Graduação para o Mercado Farmacêutico, as vacinas são fundamentais no combate ao vírus.

Além dos imunizantes, Poloni também destaca outras medidas que são importantes em meio à pandemia. “A vacinação [em massa] contra a Covid-19 pode demorar tempo além do estimado para alcançar níveis suficientes de imunização de rebanho, muito embora o mercado mundial tenha se esforçado para produzir as vacinas. Sendo assim, é necessário que toda a população permaneça fazendo esforços no combate ao novo coronavírus, evitando aglomerações, utilizando máscaras e lavando sempre as mãos ou usando álcool 70%”, disse ele, em recente entrevista ao jornalismo do ICTQ.

Participe também: Grupos de WhatsApp para receber notícias farmacêuticas diariamente..

Obrigado por apoiar o jornalismo profissional

A missão da Agência de notícias do ICTQ é levar informação confiável e relevante para ajudar os leitores a compreender melhor o universo farmacêutico. O leitor tem acesso ilimitado às reportagens, artigos, fotos, vídeos e áudios publicados e produzidos, de forma independente, pela redação da Instituição. Sua reprodução é permitida, desde que citada a fonte. O ICTQ é o principal responsável pela especialização farmacêutica no Brasil. Muito obrigado por escolher a Instituição para se informar.

Veja mais materias sobre:

Farmácia, coronavírus, Covid-19

Atendimento

Atendimento de segunda a quinta-feira das 08:00h às 18:00h e sexta-feira das 08:00h às 17:00h (Exceto Feriados).

Telefones:

  • 0800 602 6660
  • (62) 3937-7056
  • (62) 3937-7063

Whatsapp

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua: Haddock Lobo, n° 131, Sala: 910, Cerqueira César.

CEP: 01414-001 , São Paulo -SP.

Fale conosco

PÓS-GRADUAÇÃO - TURMAS ABERTAS