Alto risco: hospital está com partículas de coronavírus no ar

Alto risco: hospital está com partículas de coronavírus no ar

Se o alto poder de proliferação do novo coronavírus (Covid-19) foi a principal causa de sua rápida disseminação por todo o mundo, que causou milhares de mortes, um grupo de cientistas acaba de levantar uma hipótese que pode justificar essa rapidez que a doença tem em se espalhar, pois, pesquisadores conseguiram encontrar partículas do vírus no ar, em uma enfermaria de hospital.

Em um estudo desenvolvido pela Universidade da Flórida (EUA), publicado na plataforma MedRxiv, realizado no Hospital de Shands, os cientistas descobriram que na unidade de saúde havia partículas do vírus no ar, pois, elas podem permanecer suspensas como gotículas, aumentando a possibilidade de contaminação.

Segundo a pesquisa, a transmissão por aerossol ocorre quando várias secreções respiratórias produzem aerossóis microscópicos (gotículas que carregam o vírus) por evaporação, no momento em que uma pessoa respira, tosse, espirra ou fala. Essas partículas contêm vírus em quantidade suficiente para causar a infecção pela doença.

Receba nossas notícias por e-mail: Cadastre aqui seu endereço eletrônico para receber nossas matérias diariamente

Como foi a pesquisa?

Os cientistas coletaram amostras de ar de uma sala de enfermaria da unidade hospitalar. No estudo, dois pacientes infectados com a doença participaram dos testes. Na análise, os pesquisadores conseguiram detectar o vírus vivo em aerossóis coletados a uma distância de 2 a 4,8 metros dos voluntários.

Vale ressaltar que os resultados desse estudo despertam um alerta na comunidade científica internacional, já que essas distâncias são maiores do que a mínima recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para evitar a transmissão do vírus.

publicidade inserida(https://www.ictq.com.br/pos-graduacao)

Opinião de especialistas

Para especialistas, embora o estudo seja um passo importante, no sentido de acender um alerta para possíveis formas de proliferação, mais testes precisam ser realizados.

"Não tenho certeza de que esses números sejam altos o suficiente para causar uma infecção em alguém. A única conclusão que posso tirar deste artigo é que você pode cultivar um vírus viável do ar", opinou a virologista da Universidade de Columbia, em Nova York (EUA), Angela Rasmussen, em matéria publicada no UOL. 

É importante destacar que essa pesquisa divulgada pela Universidade da Flórida, em 4 de agosto de 2020, ainda não passou pela revisão de pares, ou seja, ainda precisa ter validação dos resultados para ser publicada em uma revista científica.

Participe também: Grupo de WhatsApp e telegram para receber notícias farmacêuticas diariamente

Obrigado por apoiar o jornalismo profissional

A missão da Agência de notícias do ICTQ é levar informação confiável e relevante para ajudar os leitores a compreender melhor o universo farmacêutico. O leitor tem acesso ilimitado às reportagens, artigos, fotos, vídeos e áudios publicados e produzidos, de forma independente, pela redação da Instituição. Sua reprodução é permitida, desde que citada a fonte. O ICTQ é o principal responsável pela especialização farmacêutica no Brasil. Muito obrigado por escolher a Instituição para se informar.

Atendimento

Atendimento de segunda a sexta-feira,
das 08:00 às 18:00 horas.

Telefones:

  • 0800 602 6660
  • (62) 3937-7056
  • (62) 3937-7063

Whatsapp

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua: Haddock Lobo, n° 131, Sala: 910, Cerqueira César.

CEP: 01414-001 , São Paulo -SP.

Fale conosco

PÓS-GRADUAÇÃO - TURMAS ABERTAS