Como é trabalhar na rede pague menos

CONTEÚDO PREMIADO: Registre seus dados e concorra a um iPhone 8

A questão de um profissional farmacêutico se adaptar ou não em determinada farmácia é muito pessoal, pois depende das expectativas das duas partes. No entanto, é inegável que, independentemente do tamanho da rede, sempre há aqueles que gostam e aqueles que não gostam de atuar nesses estabelecimentos. No caso da Rede Pague Menos, a balança parece pender para o lado bom (ao menos para a marca).

As Farmácias Pague Menos são a primeira rede varejista presente nos 26 Estados da Federação e no Distrito Federal. Mantém um crescimento médio anual de 18% nos últimos dez anos, um dos maiores índices de crescimento contínuo do Brasil. Conta com 1.156 lojas, 800 unidades do Clinic Farma (sua marca da clínica farmacêutica) e mais de 23 mil colaboradores (destes, 3.811 são farmacêuticos), que atuam em 342 municípios. Em seu planejamento, a companhia prevê chegar a 1.600 lojas até o fim de 2022.

A atenção farmacêutica, que já é realidade nas farmácias brasileiras, também é foco da marca. A Clinic Farma, sistema inaugurado em 2014, consiste em salas dentro das lojas, exclusivamente para serviços básicos, como testes toxicológicos, beta HCG e perfil lipídico, aferição de pressão arterial e glicemia, além de acompanhamento e orientação para perda de peso, controle de colesterol e diabetes, autocuidado e combate ao tabagismo.

Algumas lojas da rede oferecem também o serviço de vacinação em adultos, como gripe, herpes-zóster, meningite, tríplice viral, HPV e pneumonia. O atendimento no Clinic Farma é gratuito, realizado individualmente em uma sala privativa e aberto ao público em geral.

“Aumentamos o nosso escopo de serviços oferecidos, ampliando e melhorando ainda mais nosso relacionamento com o cliente. A farmácia se tornou um local muito prático de cuidado e atenção à saúde e bem-estar. Esses serviços estimularam a frequência dos clientes e geraram mais vendas. Nessa nova rota, tudo o que a Pague Menos quer é reconquistar a liderança no mercado farmacêutico”, informa a farmacêutica e gerente Técnica da Pague Menos, Cristiane Feijó.

Como o mercado de trabalho vê a Rede

A companhia aparece nos principais rankings de melhores empresas para se trabalhar. No mais renomado deles, o Great Place to Work, a Pague Menos foi lembrada nos três últimos anos consecutivos, 2016, 2017 e 2018.

Ela aparece também no ranking de consulta da Infojobs sobre a classificação das melhores empresas para trabalhar no Brasil. No site é possível consultar 2.297 avaliações sobre a rede. É importante dizer que esse ranking se atualiza mensalmente.

Na plataforma Infojobs, a pontuação média da Pague Menos é de 4.4, de um total de 5 pontos, com base em 2.297 avaliações sobre Oportunidade de Promoção (4.0), Conciliação com a Vida Familiar (4.1), Ambiente de Trabalho (4.2) e Benefícios (3.8). Individualmente, a maior pontuação é em Oportunidade de Promoção (4.2) e a menor em Conciliação com a Vida Familiar (3.4). Cerca de 95% dos profissionais dizem que indicariam a Pague Menos para um amigo e 90% aprovam a diretoria (com base em 1.055 avaliações).

A Infojobs criou um comparativo salarial médio, de acordo com as remunerações informadas no portal. Na lista das 31 empresas, dez são do varejo farmacêutico. Lideram o ranking a Drogalis (R$ 4.494/mês) e as Drogarias Farmais (R$ 4.133/mês), seguidas de Drogaria Onofre (R$ 3.957/mês), e Grupo DPSP (R$ 3.550/mês). Na 4ª posição, aparece a Pague Menos, com uma média salarial para farmacêuticos de R$ 3.855 ao mês. É importante destacar que essas informações foram fornecidas ao portal Infojobs por profissionais.

Segundo o site de oportunidades profissionais, Love Mondays, a satisfação geral dos funcionários com a companhia é de 3,7, de um total de 5 pontos, com base em 253 avaliações. Essa pontuação considera a média de pontos obtidos em Remuneração (3,2) e Benefícios (3,6), Oportunidade de Carreira (3,7), Cultura da Empresa (3,3) e Qualidade de Vida (2,9).

No portal, a média salarial do farmacêutico fica em torno de R$ 3.486, com 147 salários postados. Entre os profissionais que já trabalharam ou trabalham na empresa, 80% a recomendariam a um amigo. Interessante notar que os cargos com mais entrevistas de emprego são farmacêuticos e operadores de caixa, nesta ordem.

Já no portal da Catho – um classificado online de empregos - os profissionais também podem avaliar as empresas. A pontuação média da Pague Menos é 4,1, com base em 59 avalições. Novamente, a categoria Oportunidade de Carreira é a mais bem classificada, com nota 3,7. Em seguida, vem Ambiente de Trabalho (3,9), Benefícios (3,6), Alta Gerência e Diretoria (3,6) e Qualidade de Vida (3,4). O nível de estresse foi classificado como médio.

Importante observar que essas avaliações e pontuações foram apuradas no final de 2018, no fechamento dessa matéria.

Ponto de vista da Pague Menos

O plano da Pague Menos vai além da abertura de lojas. A companhia tem como pilares a brasilidade, cidadania, melhor preço e saúde. A farmacêutica Cristiane conta que trabalhar na companhia é dinâmico e desafiador. “O cenário de trabalho farmacêutico é constantemente animador. A empresa investe muito nas atividades farmacêuticas e na capacitação dos profissionais. Além disso, o profissional é essencial para o atendimento com qualidade. É o farmacêutico quem realiza os procedimentos. Sempre atento e prestativo, o farmacêutico é o profissional de confiança dos consumidores. É um especialista para auxiliar os nossos clientes para realizar as melhores escolhas e soluções”, relata a colaboradora.

Cristiane ressalta que a empresa atende às boas práticas e legislação vigentes, investindo na área de serviço farmacêutico e regulatório. Para cumprir as responsabilidades, ela ressalta a importância das boas práticas da assistência farmacêutica dentro da farmácia. “Trabalhamos para minimizar os riscos sanitários, promover o uso adequado de medicamentos, de produtos de saúde, do cuidado efetivo e o acompanhamento da saúde dos clientes. Com esses parâmetros, a operação fica mais fácil e segura. Temos uma série de atribuições legais que são determinadas pela legislação vigente, entre elas, o atendimento farmacêutico efetivo de qualidade, o comprometimento com o trabalho e o acompanhamento pontual dos clientes”, afirma.

A Pague Menos oferece possibilidade de promoção para a área gerencial, para farmacêutico pleno, sênior e para apoiador do Clinic Farma. “Valorizamos funcionários e estagiários na promoção para farmacêutico. Ele entra como farmacêutico júnior e pode ser promovido para a área gerencial, para farmacêutico pleno, sênior e para apoiador do Clinic Farma”, afirma Cristiane.

Para ser contratado é necessário conhecimento técnico e regularização no Conselho Regional de Farmácia (CRF). “A seleção é realizada em diversas fases como avaliação de conhecimento técnico, entrevista e dinâmica com o RH, onde são tratadas as habilidades e desenvoltura, depois é encaminhado para entrevista com o gerente da filial ou setor onde o profissional irá atuar. Buscamos por farmacêuticos participativos, que goste da operação de uma farmácia comercial, que seja bom ouvinte, que tenha boa comunicação verbal e não verbal, conheça a legislação farmacêutica e a farmácia clínica”, diz Cristiane.

Ponto de vista de quem trabalha e já trabalhou na rede

Portais como Infojobs, Love Mondays e Catho são termômetros do que se pode encontrar nas empresas brasileiras. A favor da Pague Menos estão pontos positivos como: oportunidade de crescimento, Registro em CLT e comissionado, pagamento em dia, ótima estrutura e logística impecável, treinamento, comissão, plano de saúde e carreira.

Pesam contra a empresa pontos negativos como carga horária exaustiva ou indefinida, acumulo de funções, não recebimento do vale alimentação, concorrência entre os próprios colegas de trabalho, pressão e cobrança nas metas impostas, falta de investimento em campanhas motivacionais, desvalorização do potencial dos funcionários e falta clareza de informações dadas pelos supervisores regionais.

O farmacêutico e responsável técnico em uma das lojas da rede Pague Menos no município de Bragança (PA), Márcio Oliveira, conta que trabalha há quase um ano na empresa, e lá ele conseguiu realizar seu sonho. Ele relata que a companhia deu liberdade para ele exercer, de fato, a sua profissão, então, ele conta que não se limita mais a apenas dispensar medicamentos no balcão. Oliveira atua como farmacêutico clínico, com a assistência farmacêutica e com serviços farmacêuticos.

“Tenho contato direto com o paciente, não é só aquela coisa de ouvir o nome do produto, pegar, entregar e mandar pagar no caixa. Eu escuto o paciente, sei das necessidades, das tristezas, conheço suas dores e posso fazer algo para mudar a situação que o incomoda”, ressalta Oliveira.

Oliveira conta também que desempenha muitas funções como: administração do Sistema de Alimentação de Receitas Sobre Controle (SIAP) e do Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC), é responsável pela manutenção dos antimicrobianos e psicotrópicos, pela documentação sanitária e pelo Clinic Farma que, segundo ele, é a principal e mais importante parte do seu serviço, além de realizar a gestão das pessoas para a organização e limpeza da loja.

O farmacêutico já coleciona muitas histórias para contar e gosta de relembrar a de uma mãe que chegou na farmácia com uma criança de dez anos no colo e relatou que a menina estava com a garganta inflamada e com febre. “Ela contou que levou a filha no hospital e lá na emergência tinha um clínico geral, mas o médico não quis atender, pois ele não era pediatra, e apenas medicou 15 gotas de paracetamol via oral e mandou a mãe para casa. A mãe ficou indignada e disse que a filha estava muito ruim. Então, o médico informou a mãe o seguinte: leva sua filha até a farmácia Pague Menos, lá tem um consultório farmacêutico e o profissional que está lá pode ajudar sua filha”.

Oliveira confessa que ficou impressionado, mas muito feliz com o reconhecimento: “Não somos médicos, porém estudamos as formulações e sabemos como agir em uma emergência como essa, claro que o profissional tem que estar seguro no que faz e por isso é nosso dever estudar muito, nos especializar, para agir com segurança e eficácia em casos como esse”.

Nem tudo são flores

Já a farmacêutica F.R.P, de 23 anos, que mora em São Paulo (SP) e preferiu não se identificar, trabalhou na Pague Menos de outubro 2017 a novembro de 2018, com um salário R$ 3.648. De positivo ela ressaltou que a Clinic Farma é uma excelente ideia da rede. “Por meio do atendimento no Clinic Farma pude aprimorar meus conhecimentos e oferecer um serviço farmacêutico de qualidade ao cliente que chegava à loja buscando orientações”. Já de negativo ela percebeu que não haveria possibilidade de promoção dentro onde atuava. “Não vi nenhuma possibilidade de crescimento. Cansei-me de tanta pressão, o ambiente de trabalho se tornou hostil para mim. Por isso, resolvi sair.”

Já a auxiliar de farmácia M.A.F., de 36 anos, que mora em Natal (RN) e também não quis se identificar, trabalhou durante 15 anos em uma das farmácias da rede em Natal, com um salário de R$ 1.824. De positivo ela destaca o ambiente de trabalho, e diz que aprendeu muito no decorrer do tempo que passou na empresa. De negativo ela ressalta a falta de oportunidade de crescer dentro da companhia, acumulo de funções e a desvalorização dos funcionários. “Não guardo rancor, mas percebi que eles não me valorizaram, e isso é muito ruim. Eles oferecem poucos benefícios e eu acumulava, por vezes, várias funções. Dediquei-me à loja durante 15 anos, nunca me promoveram, nunca valorizaram o meu potencial, e quando fui demitida percebi que adquiri apenas, experiência”.

Sobre as críticas de ex-funcionários, a Pague Menos diz, em nota, que atua de forma comprometida e integrada, de acordo com a CLT e as convenções Sindicais dos Farmacêuticos em cada Estado, cumprindo rigorosamente todas as normas estabelecidas pela Lei. “Temos um grande respeito e valorizamos nossos profissionais com reconhecimento, plano de carreira e treinamento, proporcionando crescimento profissional e pessoal. Investimos muito em treinamentos e crescimento técnico individual, pois entendemos que é a ferramenta mais importante para o serviço farmacêutico. Além disso, oferecemos aos nossos clientes suporte 24h de farmacêuticos para duvidas técnicas no SAC FARMA Pague Menos, que também é nossa ouvidoria composta por farmacêuticos no atendimento. Empenhamos-nos em promover um excelente ambiente de trabalhando, gerando mais satisfação aos nossos colaboradores e, consequentemente, um atendimento de qualidade para nossos clientes”.

Mais sobre a Pague Menos

Criada em 1981, em Fortaleza (CE), a rede preferiu focar durante anos no Nordeste, mercado que domina e no qual praticamente navegou sozinha durante muito tempo. Recentemente, a empresa pensou em uma nova estrutura logística para expandir as lojas, e investiu na abertura de novos centros de distribuição. A companhia já possuía distribuidoras no Ceará, Goiás, Pernambuco e Bahia, e passou a ampliar os negócios para os Estados de São Paulo e Minas Gerais. Para isso, abriu, em junho de 2018, um centro de distribuição em Belo Horizonte (MG), com aporte de R$ 20 milhões; e outro em São Paulo, que deve ser inaugurado no início de 2019.

Em 2018, houve 40 inaugurações somente em São Paulo e 30 em Minas Gerais. O número é três vezes maior do que o registrado em 2017, quando foram abertas 24 lojas no Sudeste. Estão nos planos outras unidades no Rio de Janeiro e na Região Sul. “Em cada loja que inauguramos investimos cerca de R$ 1,3 milhão. No total, foram 200 novas farmácias em 2018, e um investimento de R$ 260 milhões”, disse em entrevista à Isto É o CEO da Pague Menos, Mário Queirós, que é filho do fundador e assumiu a empresa em 2016, num plano de sucessão elaborado pelo General Atlantic, fundo americano que adquiriu 17% do capital da empresa em 2015, por R$ 600 milhões,

No início de novembro a rede Pague Menos inaugurou a maior farmácia da América Latina na sua terra natal, em Fortaleza (CE). São três andares, com seis escadas rolantes, em uma área construída de mil metros quadrados, com setor de dermocosméticos e área de café.

Na ocasião foi apresentado o plano de marketing da empresa para 2019 e entrega de premiações de melhores parceiros. "Temos uma estratégia bem ampla na expansão de lojas, com expectativa de inaugurar mais de 150 lojas em 2019 mantendo um ritmo de crescimento, mas também manter o foco em melhorar a experiência de compra nas lojas já existente", diz a diretora Comercial e de Marketing da Pague Menos, Patriciana Rodrigues.

Com um market share de 5,8% (fonte IQVIA 30/09/18) a empresa quer conquistar o consumidor com a oferta de serviços farmacêuticos, algo ainda incipiente na maior parte do mercado concorrente.

Tags: profissão farmacêutica, carreira farmacêutica, varejo farmacêutico

Atendimento

Atendimento de segunda a sexta-feira,
das 08:00 às 18:00 horas.

Telefones:

  • 0800 602 6660
  • (62) 3937-7056
  • (62) 3937-7063

Whatsapp

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua: Haddock Lobo, n° 131, Sala: 910, Cerqueira César.

CEP: 01414-001 , São Paulo -SP.

Telefones:

(11) 2607-6688
(11) 2268-4286

 

Fale conosco

PÓS-GRADUAÇÃO - TURMAS ABERTAS