Operação da polícia mira proprietários de rede de farmácias

Operação da polícia mira proprietários de rede de farmácias

A Operação Perlage da Polícia Civil de Goiás cumpriu seis mandados de busca e apreensão em um grupo de farmácias suspeito de venda irregular de ivermectina e testes para Covid-19 em Goiânia. Segundo a polícia, os medicamentos e testes estavam armazenados de forma inadequada e eram vendidos com notas fiscais falsas e sem o recolhimento de tributos.

Por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Ordem Tributária (DOT), com apoio da Secretaria da Economia e Vigilância Sanitária Municipal, a Polícia Civil realizou ontem (17/11) a segunda fase da Operação Perlage. O alvo foi um grupo empresarial conhecido do ramo de farmácias de Goiânia, segundo a polícia, mas que não teve o nome revelado, apurou o G1.

Segundo o delegado Marcelo Aires, foram apreendidos documentos, computadores, telefones celulares e uma arma de fogo. “Uma parte dos envolvidos já foi ouvida anteriormente, e na data de hoje, com a deflagração da segunda fase, ouvimos também mais um dos envolvidos, que confirma as suspeitas, que já eram confirmadas pelas nossas investigações”, disse o delegado ao G1.

As investigações apontam que a possível associação criminosa vinha comercializando os medicamentos e testes em não conformidade com as normas da Vigilância Sanitária e usando notas fiscais fraudulentas.

publicidade inserida(https://www.contabilizei.com.br/abrir-empresa/sao-paulo/?utm_source=kwanko&utm_medium=parceiro&utm_campaign=SP_Custo_Zero&utm_content=banner_novembro)

“Essa associação criminosa é composta por empresários do ramo de distribuidoras de medicamentos e drogarias de Goiânia, que, durante a pandemia, estavam adquirindo produtos medicamentosos, especialmente ivermectina e testes para Covid-19, comercializando na capital, com notas fiscais fraudulentas, acondicionando todos esses produtos de maneira inadequada do ponto de vista sanitário, e não recolhendo os tributos”, frisou o policial.

Ainda conforme o delegado, a Polícia Civil não tem o valor que pode ter sido sonegado no período de ação dos bandidos. “Só um dos grupos investigados, que é o alvo da operação de hoje, uma rede de farmácias, teve faturamento no ano passado de mais de R$ 10 milhões. A Secretaria da Economia está agora realizando uma auditoria para confirmar o montante de tributos devidos”, esclareceu Aires.

Auditores fiscais da Secretaria da Economia participaram das diligências e apreenderam dados dos sistemas de informática que propiciarão auditoria para estabelecer o montante dos tributos devidos. Também participaram da operação, fiscais da vigilância sanitária, que lavraram autos de infração e interditaram os estabelecimentos.

Segundo a polícia, os investigados vão responder por crime tributário, crime contra a saúde pública e associação criminosa, além de terem de arcar com o pagamento dos tributos sonegados acrescidos de multa.

Receba nossas notícias por e-mail: Cadastre aqui seu endereço eletrônico para receber nossas matérias diariamente

Na primeira fase da Operação Perlage, ocorrida em 21 de setembro, foram cumpridos dez mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão, além da apreensão de armas de fogo, medicamentos armazenados inadequadamente e meia tonelada de insumos para refino de substâncias entorpecentes. Segundo a polícia, um dos empresários preso vendia insumos a traficantes para a produção de cocaína e o outro bandido fraudava as notas fiscais da venda de ivermectina e testes para Covid-19, além de armazenar esses produtos de forma inadequada.

Para o delegado, a operação é uma advertência ao consumidor. “Serve de alerta, porque esses estabelecimentos que atuam em desconformidade com a lei colocam em risco a saúde da população porque vendem medicamentos que além de não ter o pagamento dos tributos, são acondicionados de maneira irregular, que podem prejudicar o tratamento médico que estas pessoas estão sendo submetidas”, frisou Aires.

Participe também: Grupos de WhatsApp e Telegram para receber notícias farmacêuticas diariamente

Obrigado por apoiar o jornalismo profissional

A missão da Agência de notícias do ICTQ é levar informação confiável e relevante para ajudar os leitores a compreender melhor o universo farmacêutico. O leitor tem acesso ilimitado às reportagens, artigos, fotos, vídeos e áudios publicados e produzidos, de forma independente, pela redação da Instituição. Sua reprodução é permitida, desde que citada a fonte. O ICTQ é o principal responsável pela especialização farmacêutica no Brasil. Muito obrigado por escolher a Instituição para se informar.

Atendimento

Atendimento de segunda a sexta-feira,
das 08:00 às 18:00 horas.

Telefones:

  • 0800 602 6660
  • (62) 3937-7056
  • (62) 3937-7063

Whatsapp

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua: Haddock Lobo, n° 131, Sala: 910, Cerqueira César.

CEP: 01414-001 , São Paulo -SP.

Fale conosco

PÓS-GRADUAÇÃO - TURMAS ABERTAS