Pfizer fatura menos no trimestre, mas prevê melhora com vacina contra Covid-19

Pfizer fatura menos no trimestre, mas prevê melhora com vacina contra Covid-19

A indústria farmacêutica norte-americana Pfizer anunciou lucro 32% menor no segundo trimestre, mas prevê melhora ao longo do ano, estimulada por alguns medicamentos e pela vacina que está com boas perspectivas de desenvolvimento, revela o Valor Econômico.

Segundo a reportagem, a companhia registrou lucro líquido de US$ 3,42 bilhões (R$ 17,6 bilhões) no segundo trimestre, uma queda de 32% ante o mesmo período de 2019, fazendo com que o lucro por ação seja de US$ 0,61, ante US$ 0,89 visto um ano atrás. O lucro líquido ajustado no período caiu 3%, somando US$ 4,40 bilhões (R$ 22,6 bilhões). Já a receita da Pfizer sofreu queda anual de 11% neste trimestre, fechando em US$ 11,8 bilhões (R$ 60,7 bilhões).

De acordo com a empresa, a Covid-19 provocou uma perda de US$ 500 milhões (R$ 2,5 bilhões) ou 4% na receita líquida do segundo trimestre, principalmente devido à queda nas consultas médicas nos Estados Unidos e a menor demanda por determinados produtos na China.

Mas o laboratório está otimista para o segundo semestre. No relatório divulgado pela companhia está escrito que “haverá uma melhoria gradual no acesso aos profissionais de saúde dos Estados Unidos para colegas da força de vendas, e os investimentos da empresa em tratamentos e uma potencial vacina para a Covid-19 continuação ao longo de 2020. No entanto, orientações financeiras não incluem receitas de uma potencial vacina para a Covid-19”. Segundo a agência Reuters, a demanda crescente pelo medicamento para câncer Ibrance e pelo anticoagulante Eliquis também deve ajudar no desempenho anual.

“Apesar do impacto contínuo da Covid-19, ainda se espera que 2020 seja um ano de transformação para a Pfizer. Após o fechamento pendente da transação Upjohn/Mylan (a empresa pretende fundir sua unidade de genéricos com a Mylan), prevista para o quarto trimestre de 2020, a New Pfizer estará posicionada para gerar receita e crescimento ajustado do lucro líquido diluído que deverá estar entre os líderes do setor. A New Pfizer será uma empresa menor, baseada na ciência, com um foco singular em inovação, além de continuar alocando capital significativo diretamente aos acionistas, principalmente por meio de dividendos”, afirmou o diretor financeiro Frank D´Amelio, conforme o Valor.

A Pfizer elevou a previsão de receita total para o intervalo de US$ 48,6 bilhões (R$ 250,3 bilhões) até US$ 50,6 bilhões (R$ 260,6 bilhões) em 2020. Anteriormente, a previsão era entre US$ 48,5 bilhões (R$ 249,8 bilhões) e US$ 50,5 bilhões (R$ 260,1 bilhões). O custo de vendas ajustado no ano deve ficar entre 19,5% e 20,5%. E o lucro líquido ajustado deve ficar entre US$ 2,85 e US$ 2,95 por ação.

publicidade inserida(https://www.ictq.com.br/pos-graduacao)

Vacina avança

Na segunda-feira (27/7), a Pfizer e a empresa alemã de biotecnologia Biontech anunciaram terem selecionado a BNT162b2 como sua candidata a vacina contra a Covid-19 e que iniciará um estudo global da fase 2 e 3.

As empresas já haviam informado resultados positivos das fases 1 e 2 da pesquisa com vacina BNT162b. A Biontech afirmou que os testes de duas dosagens de seu medicamento em 24 voluntários saudáveis mostrou que, após 28 dias, eles desenvolveram níveis mais altos de anticorpos para a Covid-19 do que os normalmente observados em pessoas infectadas.

Receba nossas notícias por e-mail: Cadastre aqui seu endereço eletrônico para receber nossas matérias diariamente

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a condução de ensaios clínicos em fase 2/3 para o imunizante da Pfizer/Biontech. Segundo as empresas, a previsão para início dos estudos clínicos é final de julho.

O estudo prevê a inclusão de cerca de 29 mil voluntários, sendo mil no Brasil, distribuídos nos Estados de São Paulo (no Centro Paulista de Investigação Clínica – CEPIC) e Bahia (Instituição Obras Sociais Irmã Dulce). O recrutamento dos voluntários, conforme a Anvisa, é de responsabilidade dos centros que conduzem a pesquisa.

Segundo a Pfizer, a escolha do Brasil para participar do estudo foi baseada no conhecimento científico e capacidade local, assim como na epidemiologia da doença e experiência prévia do País para realização de estudos clínicos.

Com isso, o Brasil passa a ser um dos braços da fase global da pesquisa clínica da vacina em estudo. Ela é baseada em ácido ribonucleico (RNA), que codifica um antígeno específico do vírus Sars-CoV-2. O RNA é traduzido pelo organismo humano em proteínas que irão então induzir uma resposta imunológica.

Participe também: Grupo de WhatsApp e telegram para receber notícias farmacêuticas diariamente

Obrigado por apoiar o jornalismo profissional

A missão da Agência de notícias do ICTQ é levar informação confiável e relevante para ajudar os leitores a compreender melhor o universo farmacêutico. O leitor tem acesso ilimitado às reportagens, artigos, fotos, vídeos e áudios publicados e produzidos, de forma independente, pela redação da Instituição. Sua reprodução é permitida, desde que citada a fonte. O ICTQ é o principal responsável pela especialização farmacêutica no Brasil. Muito obrigado por escolher a Instituição para se informar.

Atendimento

Atendimento de segunda a sexta-feira,
das 08:00 às 18:00 horas.

Telefones:

  • 0800 602 6660
  • (62) 3937-7056
  • (62) 3937-7063

Whatsapp

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua: Haddock Lobo, n° 131, Sala: 910, Cerqueira César.

CEP: 01414-001 , São Paulo -SP.

Fale conosco

PÓS-GRADUAÇÃO - TURMAS ABERTAS