Covid-19: 5 laboratórios falam do preço da vacina

Covid-19: 5 laboratórios falam do preço da vacina

Indústrias farmacêuticas sinalizam confiança nos testes realizados com suas respectivas vacinas contra o novo coronavírus (Covid-19). Nesse sentido, os laboratórios Pfizer, MSD (Merck Sharp & Dohme) e Moderna revelaram que caso a eficácia de seus antígenos seja confirmada, não venderão a substância a preço de custo. Em contrapartida, AstraZeneca e Johnson & Johnson afirmam que vão vender seus imunizantes sem margem de lucro.

A AstraZeneca, inclusive, revelou o valor aproximado do produto. De acordo com o diretor da indústria farmacêutica, Pascal Soriot, o antígeno, desenvolvido em parceria com a Universidade de Oxford, terá um preço de custo de 2,5 euros (equivalente a R$ 14,90) por unidade, segundo informação divulgada pelo UOL.

Receba nossas notícias por e-mail: Cadastre aqui seu endereço eletrônico para receber nossas matérias diariamente

Recentemente, inclusive, a AstraZeneca chegou a assinar um contrato de U$ 1,2 bilhão (mais de R$ 5 bilhões) com os Estados Unidos, por meio da agência Barda, para a entrega de 300 milhões de doses a preço de custo.

Sistema de precificação

Para entender melhor como vai funcionar o sistema de fornecimento e cobrança dos antígenos é importante ressaltar que algumas indústrias farmacêuticas assinaram acordos com os EUA e outros países, após receberem recursos para auxiliar nas pesquisas de suas respectivas vacinas. Contudo, esses contratos, nem sempre, estipularam ou limitaram o preço das possíveis doses da substância imunizante.

A Moderna, por exemplo, recebeu US$ 483 milhões (mais de R$ 2,5 bilhões) do Governo americano para o financiamento das pesquisas e desenvolvimento do antígeno, mas, segundo o presidente da companhia de biotecnologia, Stephen Hoge, não há contrato que priorize o fornecimento para os Estados Unidos. Atualmente, a indústria farmacêutica está com uma das produções mais avançadas do mundo, a fase três dos testes terão início nas próximas semanas, com 30 mil voluntários.

publicidade inserida(https://www.ictq.com.br/pos-graduacao)

Já a Johnson & Johnson recebeu US$ 456 milhões (mais de R$ 2,3 bilhões) da Casa Branca para suas pesquisas. Segundo a companhia, o fornecimento do antígeno não vai gerar lucro em meio ao surto ocasionado pela pandemia.

Vale ressaltar ainda que, mesmo a Pfizer comunicando que seu antígeno, em desenvolvimento com a Biontech, não será vendido a preço de custo, caso a eficácia seja comprovada, o Governo de Donald Trump concordou em pagar US$ 1,95 bilhão (quase R$ 10 bilhões) para garantir 100 milhões de doses de uma potencial vacina contra o novo vírus.

"O Governo americano fez um pedido inicial de 100 milhões de doses por US$ 1,95 bilhão e pode comprar até 500 milhões de doses adicionais", destacaram as indústrias, em comunicado à imprensa.

Participe também: Grupo de WhatsApp e Telegram para receber notícias farmacêuticas diariamente

Obrigado por apoiar o jornalismo profissional

A missão da Agência de notícias do ICTQ é levar informação confiável e relevante para ajudar os leitores a compreender melhor o universo farmacêutico. O leitor tem acesso ilimitado às reportagens, artigos, fotos, vídeos e áudios publicados e produzidos, de forma independente, pela redação da Instituição. Sua reprodução é permitida, desde que citada a fonte. O ICTQ é o principal responsável pela especialização farmacêutica no Brasil. Muito obrigado por escolher a Instituição para se informar.

Atendimento

Atendimento de segunda a sexta-feira,
das 08:00 às 18:00 horas.

Telefones:

  • 0800 602 6660
  • (62) 3937-7056
  • (62) 3937-7063

Whatsapp

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua: Haddock Lobo, n° 131, Sala: 910, Cerqueira César.

CEP: 01414-001 , São Paulo -SP.

Fale conosco

PÓS-GRADUAÇÃO - TURMAS ABERTAS