Portal do Aluno Portal do Aluno

Você aceitaria salário de R$93? Os farmacêuticos de Cuba aceitam!

Cuba é um país do mar do Caribe, na América Central. É formado por um arquipélago que possui a ilha principal de Cuba e outras menores. Havana é a maior cidade de Cuba, e é também a capital do país. Sua língua oficial é o espanhol e seu sistema de Governo é socialista marxista-leninista. Tem população de quase de 12 milhões de habitantes e um PIB per capita de US$ 10.200 (R$ 31.816).

Em Cuba, os salários são baixíssimos (o salário mínimo é referente a R$ 90). No entanto, a prestação de serviços relacionados à saúde é totalmente gratuita. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a taxa de mortalidade infantil para crianças abaixo de cinco anos de idade foi de sete para cada mil nascidos, índice superado, na América, apenas pelo Canadá (onde o índice corresponde a seis crianças a cada mil nascidos).
Cuba gasta 7,7% de seu PIB em saúde (Estados Unidos 15,3%, Canadá 10%, Brasil 7,5%). PPP int.$ é o dólar internacional, que é a moeda americana ajustada para a equivalência de poder aquisitivo, assim, em Cuba o dispêndio per capita é de apenas PPP int.$ 674, enquanto os Estados Unidos gastam em saúde PPP int.$ 6719, o Canadá PPP int.$ 3673 e o Brasil PPP int.$ 674.

Apesar de o sistema de saúde funcionar, a questão dos medicamentos deixa a desejar. Conseguir informações detalhadas sobre o tema é muito difícil, já que Cuba tem um sistema extremamente fechado e o acesso via internet é bem limitado. Para se ter uma ideia, Cuba tem um dos índices de posse de computador que estão entre os mais baixos do mundo. O direito de utilizar a internet é monitorado e só é concedido a quem contrata os serviços do governo cubano. Para ter acesso à internet é necessário pagar uma taxa específica em pontos fixos de acesso (lan-houses). Para ter acesso a toda internet paga-se algo em torno de R$ 14,00 (4,50 CUC) por hora para navegar por sites nacionais. Para e-mails internacionais a quantia cobrada é em torno de R$ 4,70 (1,50 CUC) a unidade.
Quem falou sobre o assunto foi a cubana Margaret Jardinot Mustelier, que viveu e trabalhou no país. Atualmente ela é dentista na Espanha, mas conhece muito bem o varejo farmacêutico de Cuba. Acompanhe:

1 – Regulamentação do setor farmacêutico

A regulamentação da legislação cubana é feita pelo Ministério da Saúde. Em Cuba, o governo detém controle e propriedade de todos os players que atuam no campo da saúde. As farmácias, clínicas médicas, hospitais e indústrias são governamentais e seus funcionários trabalham para o governo. A indústria farmacêutica está em desenvolvimento, principalmente por conta do bloqueio econômico sofrido pelo país. Assim, há um grande investimento em pesquisa e desenvolvimento neste setor.

2 - Perfil dos estabelecimentos

Em Cuba não há lojas como são conhecidas no Brasil. Lá apenas há um local de dispensação de medicamentos. Nada mais é vendido nas farmácias cubanas, nem mesmo itens de higiene pessoal e cosméticos. Só estão nas farmácias o que pode ser considerado medicamento ou item de uso medicinal, e eles nunca ficam ao alcance da população. Apenas os farmacêuticos podem manipulá-los.

Existem medicamentos vendidos sem receita médica, como analgésicos e vitaminas, o restante necessita de prescrição médica, e muitos com um visto de um hospital.

3 - Prescrição de medicamentos

Farmacêuticos não prescrevem legalmente em Cuca. Essa é uma atribuição apenas dos médicos. A possibilidade de prescrição é dada aos médicos do governo, que carregam um número para identificá-los e controlar sua emissão das receitas.

A função do farmacêutico dentro de uma farmácia é apenas a orientação com relação aos medicamentos e algum acompanhamento de pacientes com doenças crônicas. Não há prestação de serviços, como se conhece no Brasil. Toda a área de saúde é controlada pelo governo cubano.

Vale lembrar que os medicamentos com uma prescrição médica recebem um subsídio do governo de cerca de 90% nas farmácias, e isso inclui também os medicamentos manipulados. Nos hospitais, a medicação é gratuita durante os atendimentos e internações.

4 - Propriedade da farmácia

Todas as farmácias são do governo cubano, mesma aquelas destinadas aos turistas (geralmente dentro de hotéis ou aeroportos).

5 - Presença do farmacêutico

Há a exigência de farmacêuticos para o funcionamento da farmácia. Eles são funcionários do governo.

6 - Remuneração do farmacêutico

Todos os salários em Cuba são muito baixos. Os farmacêuticos ganham cerca de 30 CUC, ou seja, aproximadamente R$ 93,00 ao mês!

Atendimento

Atendimento de segunda a sexta-feira,
das 08:00 às 18:00 horas.

Telefones:

  • 0800 602 6660
  • (62) 3937-7056
  • (62) 3943-1157

Whatsapp

  • (62) 99473-1495

 

 

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua Tobias Barreto, nº 803, Mooca, São Paulo - SP.

CEP: 03.176-000

Telefone: (11) 2607-6688

Fale conosco